×
Loading ...

Top 10: as melhores Faculdades de Economia no mundo

Digital Vision./Digital Vision/Getty Images

Introdução

O ranking das melhores faculdades do mundo é esperado todos os anos com ansiedade por estudantes, acadêmicos e entusiastas da educação. Os escolhidos de 2012 já foram divulgados, por continente e campo de estudo, para facilitar a obtenção de informações. Essa lista foi organizada pelo site US News & World Report, usando os dados da pesquisa QS World University Rankings, feita em parceria com a QS Quacquarelli Symonds. As dez primeiras posições foram preenchidas por universidades dos Estados Unidos e Europa.

Joe Raedle/Getty Images News/Getty Images

Instituto de Tecnologia de Massachusetts (EUA)

O MIT, localizado nas proximidades de Boston, foi considerado a melhor Faculdade de Economia do mundo. Variáveis como a percepção de prestígio pelo público, respeitabilidade do corpo docente, avaliação dos funcionários e citações em trabalhos e teses foram levadas em conta na pesquisa. A universidade foi inaugurada no meio do século XIX, período de grande demanda de profissionais capacitados em áreas voltadas ao desenvolvimento tecnológico -- como a engenharia e outras ciências exatas. O MIT conta com cinco faculdades, divididas em 34 departamentos, e fica na cidade de Cambridge.

Paul Marotta/Getty Images Entertainment/Getty Images

Universidade Harvard (EUA)

A mais antiga e mais prestigiosa instituição de ensino superior nos Estados Unidos, Harvard, foi estabelecida em 1636 pelos administradores da Colônia de Massachusetts e batizada em homenagem a seu primeiro benfeitor, John Harvard. Hoje, são 18 mil alunos divididos em dez escolas que abrigam as principais áreas do conhecimento. Outros 13 mil fazem parte dos programas de educação continuada da universidade. Harvard está localizada na cidade de Cambridge, que também abriga o MIT, próxima a Boston. É a universidade mais procurada por alunos de comprovada excelência em todo o mundo.

Scott Olson/Getty Images News/Getty Images

Universidade de Chicago (EUA)

A Universidade de Chicago, localizada na cidade homônima, ocupa um largo terreno no Hyde Park e foi fundada em 1890 pela Sociedade Batista de Educação Americana com investimentos de John D. Rockefeller. A ideia era propor uma educação diferente do tradicional, combinando o rigor alemão com a necessidade de produzir profissionais voltados ao mercado. A Universidade de Chicago não teve posicionamento religioso ao longo de sua história, embora tenha sido fundada por batistas. A Universidade de Chicago é conhecida na América Latina por ter abrigado, durante o doutorado, os economistas responsáveis pelo experimento neoliberal chileno nos anos 80.

William Thomas Cain/Getty Images News/Getty Images

Universidade Princeton (EUA)

A Universidade Princeton, que fica na cidade homônima em New Jersey, é tradicionalmente mais voltada para o ensino de disciplinas de ciências exatas -- Engenharia e Ciências da Computação, por exemplo. A notável exceção é o departamento de comunicação, que forma alguns dos principais jornalistas e comunicadores do país. A universidade é a quarta a surgir nos Estados Unidos, ainda no final do século XVIII. O Nassau Hall, uma de suas dependências mais antigas, serviu como capitólio temporário em 1783. Princeton é uma das universidades que mais produz artigos científicos na área de computação e Tecnologia da Informação.

Oli Scarff/Getty Images News/Getty Images

London School of Economics (Reino Unido)

A Escola de Economia de Londres fica na capital inglesa e já preparou alguns dos mais proeminentes economistas do mundo. A LSE não oferece apenas cursos de economia, mas de todas as ciências sociais, e conta com programas de macroeconomia, teoria econômica, econometria e ciência política. Todos são considerados os melhores da Europa. Trata-se de uma faculdade que valoriza a diversidade cultural e conta com quase 70% de seus estudantes de outros países. Entre o corpo docente, o número de estrangeiros chega a 40%. Os formados pela LSE, em geral, são absorvidos por governos, bancos e universidades.

Doug Pensinger/Getty Images Sport/Getty Images

Universidade Stanford

Stanford foi criada em meados do século XIX como a primeira instituição de ensino superior de renome na Costa Oeste dos EUA. A universidade fica no Estado da Califórnia e é a primeira fora da região nordeste a surgir no ranking. Stanford é considerada a principal instituição a abastecer o Vale do Silício, região conhecida pelo número de empresas de tecnologia. Stanford fica na cidade homônima, muito próxima a Palo Alto e a apenas 60 quilômetros de San Francisco. A universidade está diretamente ligada à criação da Internet e formou CEOs de empresas como o Yahoo, Google, Nike e HP. Está empatada em quinto lugar, com a LSE, no ranking mundial.

Justin Sullivan/Getty Images News/Getty Images

Universidade da Califórnia (Berkeley)

A tradicional Universidade da Califórnia, que conta com diversos campi espalhados pelo Estado, foi representada no ranking por sua mais famosa unidade, na cidade de Berkeley. A universidade conta com um sólido departamento de economia e no corpo docente há vencedores do Nobel e acadêmicos de renome. São mais de 22 mil alunos espalhados por dezenas de cursos e é uma das faculdades de maior ativismo político, muito pela sua localização, na Bay Area, que engloba também cidades como San Francisco. No final dos anos 60, Berkeley foi invadida por forças policiais durante o governo Nixon, para conter manifestações contra a Guerra do Vietnã. O saldo final foi de quatro mortos e dezenas de feridos.

Justin K. Aller/Getty Images Sport/Getty Images

Universidade Yale (EUA)

A Universidade Yale foi fundada em 1701 em Connecticut e 15 anos depois se mudou para New Haven, terceira maior cidade do Estado, onde está até hoje. A universidade se expandiu ao longo dos séculos XIX e XX e hoje engloba escolas de renome, como a de Letras, Teatro e Economia, que formou nomes importantes como Paul Krugman, vencedor do Nobel e articulista em diversos jornais, incluindo o brasileiro O Estado de S. Paulo. Yale também formou alguns dos principais presidentes norte-americanos, como George W. Bush. A universidade disponibiliza para estudantes de todo o mundo alguns de seus cursos do departamento de Economia, como Teoria do Jogo, pelo projeto Yale Open Courses.

Gilbert Carrasquillo/Getty Images Entertainment/Getty Images

Universidade da Pensilvânia (UPenn)

Localizada em Filadélfia, a Universidade da Pensilvânia -- ou UPenn, como é conhecida -- ocupa a nona posição no ranking. Faz parte do seleto grupo dos Colonial Colleges, as nove universidades fundadas antes da independência norte-americana. Estabelecida em 1740, conta com faculdades de renome em Economia e Administração. O programa da universidade na área traz forte carga de ciências sociais, o que ajuda a formar economistas com visões mais humanistas a respeito do assunto. São 21 mil estudantes, divididos entre graduação e pós-gradução (mestrado e doutorado), e seis prêmios Nobel apenas na área de Economia.

Spencer Platt/Getty Images News/Getty Images

Universidade Columbia

A Universidade Columbia, décimo lugar na lista de melhores faculdades de Economia, conta com uma vantagem inquestionável: está localizada na cidade de Nova York, ao norte da ilha de Manhattan. Pela localização privilegiada, surgem oportunidades de estágio e colocação profissional ainda durante os estudos, além da possibilidade de viver em uma das cidades mais cosmopolitas do mundo. Entre os principais nomes que já passaram por Columbia, o mais importante é mesmo Milton Friedman, guru do neoliberalismo, pesquisador e professor na instituição entre os anos 30 e 60. Estabelecida em 1754, foi a quinta universidade fundada nos Estados Unidos coloniais.