Como tornar-se síndico de um edifício

Escrito por pedro santos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como tornar-se síndico de um edifício
Se você tem paciência, disposição, espírito de liderança e conhecimento sobre o condomínio, procure se candidatar ao cargo síndico (denphumi/iStock/Getty Images)

Se você tem espírito de liderança, disponibilidade de tempo, um pouquinho de paciência, disposição e conhecimento sobre assuntos referentes ao seu condomínio, você provavelmente daria um bom síndico. Mas saiba de antemão: as tarefas do síndico são muitas e as recompensas, poucas. Trata-se de um cargo administrativo no qual o candidato será obrigado a resolver uma série de problemas que se acumulam no cotidiano de um edifício. Sem contar na necessidade constante de mediar e resolver que podem ser exponencialmente multiplicados de acordo com o tipo de prédio e o número de moradores. Se você está preparado para essa função, confira os passos para ser o melhor síndico possível.

Nível de dificuldade:
Moderadamente desafiante

Outras pessoas estão lendo

O que você precisa?

  • Vontade de liderar
  • Tempo disponível para administrar
  • Disposição
  • Conhecimentos sobre assuntos do condomínio
  • Paciência
  • Capacidade de mediar conflitos

Lista completaMinimizar

Instruções

  1. 1

    Se você tem as características necessárias para assumir o cargo de síndico - e está disposto a fazê-lo -, o primeiro passo é frequentar as reuniões de condomínio e participar com propostas e sugestões. Pouco a pouco, suas ideias e projetos serão conhecidos por parte dos outros condôminos.

  2. 2

    A cada dois anos, o condomínio elege, em uma assembleia, o próximo síndico. Depois de participar de muitas reuniões, você pode se candidatar ao cargo.

  3. 3

    Com os candidatos definidos, a assembleia define a data da eleição, que pode variar de condomínio para condomínio. Muitas vezes a eleição ocorre no próprio dia em que os candidatos são escolhidos. Mas geralmente há um tempo hábil para que os candidatos desenvolvam ideias, propostas e projetos futuros que serão implantados na próxima gestão.

  4. 4

    A eleição também é definida de acordo com a assembleia dos condôminos. Pode ser eleição aberta ou fechada em urna. Nesse dia, escolhe-se finalmente o futuro síndico, que ocupará o cargo pelos próximos dois anos, podendo se reeleger consecutivamente.

  5. 5

    Geralmente, é raro que todos os moradores estejam presentes na reunião de condomínio. A regra geral é que o novo síndico seja eleito de acordo com a decisão da maioria dos presentes no dia da eleição. Os moradores que não participaram do pleito devem acatar a decisão.

  6. 6

    Os benefícios de ser síndico variam em cada edifício. Geralmente, há isenção nas taxas condominiais. Mas outros benefícios, como remuneração, não são incomuns.

  7. 7

    Depois de eleito, é hora de colocar as mãos à obra. O novo síndico deve resolver todas as pendências do condomínio, relacionar-se com o zelador (se houver) e demais funcionários, verificar o orçamento e colocar tudo em votação na reunião de condomínio. Uma boa administração rende frutos para o próprio profissional e para o edifício como um todo.

Dicas & Advertências

  • Por ser um cargo eletivo, eventualmente acontece de não haver candidatos para ocupar a função. Se ninguém no condomínio quer se habilitar para o cargo, é possível contratar um profissional de administração externo ao condomínio para ser síndico. Afinal, de acordo com o Código Civil, o síndico não precisa ser necessariamente morador ou proprietário de uma unidade no prédio. Há profissionais no mercado com experiência acumulada nessa função. São os chamados síndicos profissionais.
  • É importante salientar que um condomínio não pode ficar sem síndico. Isso acarreta em problemas para o imóvel, que se torna um condomínio irregular por não ter representante legal. Isso sem contar em eventuais complicações com dívidas bancárias anteriores do condomínio e mesmo com a Receita Federal. Se os condôminos se recusarem a eleger um síndico ou contratar um profissional especializado na função, o caso pode ser levado à juízo para que a Justiça escolha um representante legal para o edifício.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível