Tratamento cognitivo-comportamental para depressão e baixa autoestima

Escrito por selena templeton | Traduzido por julio vizo
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Tratamento cognitivo-comportamental para depressão e baixa autoestima
A terapia cognitivo-comportamental (TCC) é apenas um dos muitos tipos de terapia usadas para aliviar a depressão, baixa autoestima ou quaisquer outras condições emocionais ou psicológicas (David De Lossy/Photodisc/Getty Images)

A terapia cognitivo-comportamental (TCC) é apenas um dos muitos tipos de terapias usadas para aliviar a depressão, baixa auto-estima ou quaisquer outras condições emocionais ou psicológicas. A TCC pode ser usada com crianças, adolescentes ou adultos, em grupo ou individualmente. As sessões geralmente são realizadas semanalmente. De acordo com o University of Michigan Depression Center (Centro de Depressão da Universidade de Michigan, dos Estados Unidos), este tipo de terapia é cientificamente eficaz no tratamento de mais de 75 % das pessoas com depressão.

Outras pessoas estão lendo

O que implica a TCC

A TCC baseia-se na crença de que nossos pensamentos, e não situações externas e pessoas, nos levam a sentir-nos e agir da forma como fazemos. Portanto, mudar nossos pensamentos pode influenciar positivamente as nossas emoções e reações, independentemente do que esteja acontecendo ao nosso redor.

O que diferencia a TCC de outras formas de terapia, como a psicanálise ou a terapia existencial, é que ela é especificamente orientada para objetivos de curto prazo. Ao contrário da psicanálise, que pode durar anos, a TCC dura em média apenas 16 sessões, de acordo com a National Association of Cognitive-Behavioral Therapists (Associação Nacional dos Terapeutas Cognitivo-Comportamentais, dos Estados Unidos). Uma das razões para isto é que o TCC faz uso de "tarefas de casa" regulares. Por exemplo, no consultório do terapeuta você pode ensaiar como confrontar o seu chefe e, em seguida, colocar isso em prática no trabalho no dia seguinte.

A terapia cognitivo-comportamental envolve a reestruturação cognitiva e ativação comportamental. No aspecto de reestruturação, o terapeuta ajuda o paciente a reconhecer padrões de pensamento associados com a depressão ou baixa auto-estima e, em seguida, eles trabalham juntos para modificá-los. Tais padrões de pensamento podem incluir "Eu não sou bom", "Todo mundo me odeia" e "Por que se preocupar? Eu vou deixar assim mesmo". A ativação comportamental envolve o incentivo ao paciente para retomar gradualmente as atividades prazerosas, algo que as pessoas deprimidas frequentemente deixam cair no esquecimento, porque pensam "Qual é o propósito disto?". Desta forma, os pacientes aprendem a pensar de forma diferente, ao mesmo tempo em que colocam a teoria em prática no dia a dia através de tarefas rotineiras. Uma maneira de fazer isso é através de interpretações, com o terapeuta atuando como cônjuge, parente ou amigo do paciente, enquanto o paciente pratica como se expressar. Uma vez estando confiante em expressar seus sentimentos e pensamentos no consultório, ele tentará fazê-lo na vida real.

Filosofia do TCC

A terapia cognitivo-comportamental é baseada na filosofia estóica, uma antiga corrente filosófica grega que afirma que as pessoas devem controlar suas emoções de alegria a raiva, a fim de alcançarem a paz e, portanto, a felicidade. A partir dessa filosofia, os terapeutas da TCC ensinam que mesmo se você agir exageradamente sobre um problema, ele ainda estará lá, então ao invés de piorar a situação com as suas emoções exacerbadas, deve aprender a manter a calma. Desta forma, você será mais capaz de lidar com um problema.

A TCC também usa o método socrático (nome dado em homenagem ao filósofo grego Sócrates). Nele, os terapeutas fazem aos pacientes várias perguntas para ter uma compreensão mais profunda da sua mente e da situação que enfrentam. Eles também ensinam os pacientes a se fazerem perguntas, como "Será que ele realmente me odeia? Por que ele iria querer me prejudicar?".

No geral, a TCC é baseada no princípio de que comportamentos e reações são aprendidos e podem, portanto, ser desaprendidos. Esta modalidade de tratamento é mais do que apenas "terapia da conversa", fazendo uso de "tarefas de casa" para que o paciente pratique as técnicas aprendidas com o terapeuta em sua vida diária. Para as pessoas que sofrem de depressão ou baixa autoestima, a terapia cognitivo-comportamental oferece uma promessa de sucesso.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível