A valeriana pode ser tomada com outros antibióticos?

Escrito por c.a. rubino | Traduzido por jesse mourao
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A valeriana pode ser tomada com outros antibióticos?
O chá de valeriana acalma os nervos (blue cup and tea from a blue tea-pot image by Maria Brzostowska from Fotolia.com)

Desde o Império Romano, as pessoas usam a raiz da erva valeriana para tratar uma série de aflições físicas e mentais associados com o sistema nervoso central. Hoje, a valeriana continua sendo um dos sedativos sem prescrição mais usados na Europa. No entanto, a "The Encyclopedia of Medicinal Plants" ("Enciclopédia de plantas medicinais", em tradução livre) identifica 477 drogas que parecem interagir com a valeriana em vários graus.

Outras pessoas estão lendo

Usos comuns

A raiz da valeriana é usada principalmente como um auxílio para dormir. No entanto, a raiz age como um relaxante ósseo e muscular, o que a torna eficaz no alívio da tensão no pescoço e ombro, no controle da asma, no tratamento da síndrome do intestino irritável, na redução de espasmos musculares e no alívio de cólicas menstruais. Além disso, a raiz de valeriana acalma a mente, diminuindo os sintomas físicos associados com alta ansiedade, tais como tremor involuntário, falta de ar, palpitações e insônia. Alguns profissionais de saúde administram a valeriana com outras ervas para tratar a pressão arterial elevada.

Interação com antibióticos

Até maio de 2010, não houve evidência de efeitos adversos da utilização de raiz de valeriana com qualquer um dos principais antibióticos. A raiz de valeriana parece interagir principalmente com a inibição de neurotransmissores associados à atividade do sistema nervoso. Os anticorpos trabalham a nível celular para matar micróbios associadas a doenças infecciosas. Portanto, a valeriana parece não interagir com os antibióticos conhecidos.

Outras interações medicamentosas

A raiz de valeriana parece interagir negativamente com uma série de medicamentos conhecidos por também produzir um efeito sedativo, como pílulas para dormir, relaxantes musculares, analgésicos e inibidores de ansiedade, medicamentos anticonvulsivos e antidepressivos. Esta lista inclui o álcool, bem como qualquer outra erva sedativa, como a camomila, erva-cidreira e a erva-de-gato. Qualquer medicamento que produz um efeito colateral de sonolência e tonturas será amplificado com o uso da valeriana.

Considerações

Os Estados Unidos usaram ​​extensivamente a raiz de valeriana como um sedativo, antes de substituí-la por drogas sintéticas após a Segunda Guerra Mundial. No entanto, a raiz de valeriana continua a ser amplamente utilizada na Europa. Desde os anos de 1990, os investigadores italianos e alemães relatam vários estudos que sugerem que os benefícios do uso de raiz de valeriana diminuem os efeitos da hiperatividade e distúrbios de comportamento em crianças, de acordo com o livro "The Encyclopedia of Medicinal Plants".

Teorias/especulações

A valeriana parece afetar o sistema nervoso central ligando-se a certos receptores cerebrais para exercer um efeito sedativo. Numerosos estudos sugerem que os componentes químicos da raiz de valeriana se ligam aos mesmos receptores no cérebro que os tranquilizantes. Isto possivelmente explica o efeito calmante.

Advertência

Uma vez que a valeriana pode provocar sonolência e vertigens, tome cuidado quando se envolver em uma atividade perigosa, dirigir um carro ou usar outras máquinas. Fale com o seu médico antes de tomar qualquer medicação com raiz de valeriana.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível