Como saber se você tem um violino antigo

Escrito por sheila zahra | Traduzido por jesse mourao
Como saber se você tem um violino antigo
Olhe para dentro do violino pelo buraco em forma de F, para ver se consegue localizar uma etiqueta lá dentro (Medioimages/Photodisc/Photodisc/Getty Images)

Se você se deparar com um violino e não tiver nenhuma maneira de saber de onde veio, você pode querer saber se ele é uma antiguidade. Na maioria das vezes, quando um violino é vendido, o vendedor fala sobre a origem do violino, idade e condição. Mas, embora as probabilidades sejam baixas, você pode encontrar um violino misterioso (digamos, no sótão da casa da sua avó) que parece velho o suficiente para ser antigo. Se esse for o caso, há algumas maneiras de descobrir de onde ele veio e quando foi feito. Tenha em mente que violinos antigos não são necessariamente valioso, e o valor vai depender muito da condição do instrumento.

Instruções

  1. 1

    Olhe dentro do violino através dos buracos em forma de F (espaços na frente do violino) e verifique se há uma etiqueta dentro do instrumento. Ela pode estar colada na parte traseira no interior do violino. Se o rótulo dizer claramente em Inglês: "feito em (país)", então é um violino produzido industrialmente e não uma antiguidade. Todos os itens importados, incluindo violinos, feitos após 1891, foram obrigados a colocar o país de origem no rótulo. Violinos premiados teriam uma etiqueta impressa com "Antonius Stradiuarius Cremonenfis" e outro texto em Latim. Se o rótulo estiver em outro idioma (especialmente latim ou italiano), ou não estiver presente, há uma chance de o violino ser uma antiguidade. Também tenha em mente que às vezes os rótulos são forjados.

  2. 2

    Peça conselho a um profissional. Antiquários profissionais que se especializam em instrumentos musicais (e até mesmo especificamente em violinos) podem falar mais sobre o seu violino. Você também pode consultar o primeiro-violino em sua orquestra local, se sua cidade tiver uma, pois ele provavelmente teria melhor conhecimento sobre violinos. Um luthier (fabricante e reparador de violinos) também seria um bom profissional para ver o seu violino e saber se ele é ou não uma antiguidade.

  3. 3

    Se entrar em contato com um especialista local não for viável, ou não houver especialistas locais disponíveis, procure em outras fontes na internet. Aprenda tudo o que puder sobre violinos e suas histórias. Examine o seu violino com cuidado e então entre em contato com um especialista, se você ainda estiver curioso sobre a idade e origem do instrumento. David Bonsey é dos especialistas que avalia instrumentos em "exposições itinerantes de antiguidades" para redes públicas de TV.