×
Loading ...

Zizinho: um craque dos campos

Tomás Soares da Silva (1921-2002) ficou conhecido no mundo do futebol como Zizinho. Também chamado de “mestre Ziza” pela torcida e parte da imprensa, o atacante destacou-se como o melhor jogador brasileiro da primeira metade do século 20 e era o grande ídolo de ninguém menos que Pelé. Extremamente habilidoso, dono de chute preciso e técnica refinada, ele liderou suas equipes a vários títulos importantes. Na seleção brasileira, tornou-se um maestro e por muito pouco não foi campeão mundial. Confira mais sobre essa lenda do futebol.

Zizinho foi um dos maiores craques da história (Reprodução São Paulo Futebol Clube)

Sucesso no Flamengo

Sua estreia profissional ocorreu em 1939, com apenas 18 anos, no Flamengo. Foi na Gávea que Zizinho obteve suas maiores glórias e chegou à seleção brasileira. Disputou 329 jogos e anotou 146 gols, até 1950. Conquistou o Campeonato Carioca nos anos de 1939, 1942, 1943 e 1944, além do Torneio Rio-São Paulo de 1940. A crônica esportiva da época falava que ele era quase impossível de ser detido quando corria com a bola dominada. Tornou-se um mito com o manto rubro-negro.

Loading...

Seleção e o trauma de 1950

Zizinho começou a jogar pela seleção brasileira em 1942. Sua trajetória foi prejudicada pela Segunda Guerra Mundial, que impediu a realização da Copa do Mundo em 1942 e 1946, quando estava no auge. Mesmo assim, continuou mantendo o alto nível até 1950, quando finalmente pôde jogar o mundial, em casa. Foi eleito o melhor jogador do torneio, exibindo um futebol primoroso. Infelizmente, não conseguiu evitar a derrota na última partida, para o Uruguai: 2 a 1, de virada, para os visitantes.

Ida para o Bangu

Zizinho ainda era um craque consagradíssimo quando foi chamado para defender as cores do Bangu. No novo clube, continuou exibindo sua grande categoria e estufando as redes como poucos. Em 274 jogos, marcou 122 gols. Chegou ao vice-campeonato carioca em 1951 e conquistou por duas vezes o Torneio Início (1950 e 1955). Jogou em Moça Bonita até 1957, quando foi escolhido o melhor jogador da história do clube. Ainda hoje, esse título permanece com o jogador.

Veterano campeão

Em 1957, Zizinho recebeu um convite desafiador. Aos 36 anos, deixou seu Rio de Janeiro e disputou o Campeonato Paulista, com a camisa do São Paulo. Na época, o time tricolor tinha uma boa equipe, com valores como o goleiro Poy, o zagueiro Mauro, o lateral De Sordi e o ponta-esquerda Canhoteiro. Mas faltava um fora de série para fazer o time engrenar e coube ao craque desempenhar esse papel. Zizinho levou a equipe ao título paulista daquele ano e permaneceria até 58, disputando 60 jogos e marcando 24 gols.

Fim da carreira

Zizinho deixou o futebol brasileiro em 1958, trocando o São Paulo pelo Audax Italiano, do Chile. Marcou 16 gols pelo clube, mas não conquistou títulos. No período 1959-1960, foi emprestado para o Uberaba, de Minas Gerais, onde disputou apenas uma partida. Retornou ao Audax, onde ficou até 1962, para fazer suas últimas partidas como profissional e encerrar uma trajetória espetacular de 23 anos. Encerrou a carreira coberto de glórias e consagrado como um dos maiores jogadores que a história do futebol já vira.

Loading...

Referências

Loading ...
Loading ...