×
Loading ...

Cães: miosite do masseter

A miosite do masseter pode também ser chamada de miosite do músculo mastigatório (MMM) ou miosite mastigatória. Historicamente, a doença também foi denominada como miosite eosinofílica ou miosite atrófica. Ela é uma disfunção autoimune que afeta os músculos que possibilitam a mastigação. Sem um tratamento agressivo e precoce, a condição pode causar um problema irreversível na mandíbula.

Quando um cachorro mastiga, ele usa vários grupos de músculos localizados na têmpora e nas mandíbulas (chien de garde image by choucashoot from Fotolia.com)

Músculos mastigatórios

Quando um cão mastiga, ele usa vários grupos de músculos presentes nas têmporas e na mandíbula. O maior deles é o músculo do masseter. Outros que estão envolvidos no processo são os temporais, pterigoideos medial e lateral e o digástrico rostral. Todos esses podem ficar inflamados e doloridos quando o cão é diagnosticado com a miosite mastigatória.

Loading...

Disfunção autoimune

"Miosite" significa "inflamação muscular". Uma inflamação normal ocorre quando os glóbulos brancos atacam substâncias estranhas que são prejudiciais ao corpo, como bactérias e vírus. Algumas vezes, o sistema imunológico, erroneamente, trata o tecido corporal saudável como se ele fosse uma ameaça, causando a inflamação. Isso é chamado de disfunção autoimune. O estudo feito pelo Comparative Neuromuscular Laboratory sobre a miosite muscular explica que os músculos mastigatórios caninos contêm uma estrutura molecular especial chamada de fibras musculares tipo 2M. Se um cachorro tem miosite mastigatória, o sistema imunológico ataca essas fibras musculares saudáveis, destruindo-as e causando inchaço, dor, atrofia e cicatrizes nos músculos em questão.

Os glóbulos brancos normalmente atacam as substâncias estranhas prejudiciais, como bactérias (blood cells image by Marko Kovacevic from Fotolia.com)

Sintomas da miosite mastigatória

Um cão com a condição em questão tem problemas em mastigar. A mandíbula e as laterais da cabeça podem inchar e ficar doloridas ao toque. Em casos mais avançados, o animal pode até ser incapaz de abrir a boca (trismo). O Mar Vista Animal Medical Center recomenda um exame de sangue que verifique os anticorpos do 2M, confirmando o diagnóstico.

Cães em risco

Segundo o Mar Vista Animal Medical Center, a miosite mastigatória pode ocorrer em qualquer raça de cachorro, mas parece ser mais propensa em raças maiores, como os pastores alemães, labradores, golden retrievers, cavalier king charles spaniels e dobermans. Essa doença ainda parece atacar cães menores, com a média de início sendo aos três anos de idade.

A miosite mastigatória, em primeiro lugar, afeta raças de grande porte (Labrador image by Monty Schumacher from Fotolia.com)

Tratamento

Segundo informação publicada no Michigan Veterinary Specialists, cães com esse tipo de miosite são tratados com altas doses de corticosteroides, como prednisona ou dexametasona. Doses realmente altas suprirão o sistema imunológico e impedirão os ataques prejudiciais nos músculos. Uma vez que a função da mandíbula volte ao normal, a dose é diminuída por um período de quatro a seis meses. Em alguns casos, uma dosagem menor é continuada indefinidamente, prevenindo uma recorrência.

Loading...

Referências

Recursos

Loading ...
Loading ...