Como cultivar a mandrágora

A Mandragora officinarum pertence a família das solanáceas (solanaceae). As longas raízes dessa planta lembram uma cenoura ou a pastinaca. Ela é nativa da Europa Central e Meridional, nas áreas do Mar Mediterrâneo.

Comumente conhecida como mandrágora, essa planta perene apresenta folhas oblongas na superfície do solo e folhas enrugadas com a veia central medindo de 15 a 40 cm de comprimento. As flores com pétalas verde claro medem cerca de 5 cm de largura; elas florescem de setembro a outubro. No fim da primavera, os frutos maduros da mandrágora estão arredondados, com coloração laranja ou vermelha.

Essa planta suporta frios intensos, sobrevivendo a temperaturas de -9 a -17 ºC.

Passo 1

Escolha um local ao ar livre com luz solar direta. Como essa planta é uma solanácea, seu habitat natural inclui jardins com muitas plantas e áreas com sombra, sendo capaz de sobreviver em áreas assim ou sem sombra alguma.

Passo 2

Plante as sementes em vasos profundos ou rasos. Considere um solo um pouco arenoso ou argiloso com um pH neutro. As mandrágoras podem ser apropriadas para jardins de pedras.

Passo 3

Regue bastante a mandrágora durante o verão ou uma vez a cada duas semanas.

Passo 4

Na primavera, quando a mandrágora estiver com folhas e flores, aplique um fertilizante junto à água usada para regá-la a cada 20 ou 25 dias. Considere o uso de um fertilizante apropriado para plantas floridas. Misture um fertilizante granulado ao solo.

Passo 5

No final de fevereiro, transplante a mandrágora para um solo bem drenado, leve e profundo para acomodar a raiz extensa. Separe as mandrágoras a pelo menos 60 cm umas das outras.

Mais recentes

×