Adaptações comportamentais dos patos à água

Escrito por mary felts | Traduzido por luciana almeida
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Adaptações comportamentais dos patos à água
As adaptações de um pato à água são variadas (Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images)

Os patos são adaptados a nadar, a pegar comida e a levantar voo na água. Mas as adaptações comportamentais dos patos, à água ou quaisquer outras coisas, normalmente estão relacionadas às suas adaptações fisiológicas. Os cientistas tendem a focar nas mudanças morfológicas, mas quando as peculiaridades comportamentais estão ligadas às genéticas, as adaptações comportamentais mantêm-se na espécie através do poder da seleção natural.

Outras pessoas estão lendo

Pé palmado

O pé palmado de um pato é projetado para nadar. Eles se estendem e se contraem em diferentes formas para maximizar os movimentos dos animais na água. Os pés são muito duros e não contêm nervos ou vasos sanguíneos, permitindo que o pato nade em águas geladas. O pé palmado é o que faz com que tenham o seu gingado característico. Diferentes espécies têm variações das mesmas adaptações. Os patos mandarim, por exemplo, têm um forte poder de fixação em seus pés, pois procuram abrigo nas árvores quando não estão na água.

Adaptações comportamentais dos patos à água
O pé palmado auxilia a natação (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Bicos fortes

O bico do pato, a dieta e a maneira pela qual captura comida são interligados. Todos os patos possuem lamelas ou saliências ósseas em seus bicos, mas alguns possuem bicos mais largos, com membranas que permitem a filtração da água em busca de animais menores. Outros possuem bicos longos e dentados para se alimentarem de peixes, moluscos e anfíbios duros. Os patos também usam os seus bicos para espalharem óleo em suas penas.

Adaptações comportamentais dos patos à água
O bico de um pato é projetado especialmente para a captura de alimento (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Penas oleosas

Um comportamento do pato permite que as penas se tornem resistentes à água. A glândula uropigiana, localizada perto da base do rabo, secreta um óleo que os patos esfregam com o seus bicos e cabeças e, então, espalham por todo o corpo. O óleo na pena dos animais os mantêm secos. Se manter seco significa se manter quente e leve para nadar e voar mais rapidamente.

Adaptações comportamentais dos patos à água
As penas de um pato possuem muitas funções (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

O pato selvagem

O pato selvagem é um exemplo de ambas as adaptações fisiológicas e comportamentais. As fêmeas possuem uma camuflagem marrom nas penas que imita a água coberta de canavial. Os jovens possuem uma coloração similar antes da maturação. Embora os machos possuam uma cabeça verde distinta, eles perderão grande parte da sua coloração após o acasalamento. As fêmeas são deixadas para tomar conta da prole, então se algum perigo se aproximar, elas farão barulho e voarão para chamar a atenção do predador para elas. Os bebês têm sido ensinados a ficarem quietos e calados. Se o predador continuar sua busca, a fêmea voará para espalhar água e fingir que está machucada. O pato selvagem é capaz de levantar voo da água quase que verticalmente, devido à combinação da força das suas asas e da remada dos seus pés.

Adaptações comportamentais dos patos à água
O pato selvagem é conhecido por suas adaptações comportamentais (Tom Brakefield/Stockbyte/Getty Images)

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível