Causas de cheiro de gás no radiador

Escrito por richard rowe | Traduzido por luiza g. brando
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Causas de cheiro de gás no radiador
Descobrir qual é o problema é o primeiro passo para consertar o motor do carro (Brand X Pictures/Stockbyte/Getty Images)

Os motores são constituídos por quatro sistemas fluidos básicos, sendo a maioria desenhada para não entrar em contato com os outros. As passagens que carregam água e óleo devem, idealmente, permanecer totalmente isoladas. Os sistemas de ar e combustível se encontram da cabeça do cilindro, mas, sempre que houver um cruzamento de qualquer outro sistema além de ar e combustível, há um problema grave no motor. Um bom composto para vedação no arrefecimento pode ajudar, mas devem ser feitos reparos maiores, futuramente.

Outras pessoas estão lendo

A questão básica

Os sistemas de combustível e refrigeração do carro são duas entidades completamente separadas; um não deve chegar nem perto do outro. A gasolina só se aproxima do sistema de refrigeração do motor em poucos locais, o que diminui a quantidade de possíveis áreas problemáticas. O principal problema é que o gás adentra através do fluxo de ar, enquanto a refrigeração deve permanecer nessa mesma região. Como o arrefecimento está sempre sob pressão, um simples vazamento de refrigeração no distribuidor coloca água nos cilindros. Logo, o problema é muito mais grave do que isso.

Pressão e vazamentos

A gasolina, no fluxo de entrada, nunca fica sob tanta pressão quanto o sistema de refrigeração. Mesmo os motores com turbocompressores e supercompressores não alcançam um quinto da pressão do arrefecimento. O único momento em que uma massa que contém combustível fica sob tamanha pressão é na câmara de combustão e no exaustor, durante e após o processo de combustão. Acontece que essa área também coincide com certa quantidade de juntas e canais que carregam água, dos quais todos oferecem alguma interface entre os gases quentes da combustão e o invólucro de água.

Qual é o problema

O problema pode ser uma junta do cabeçote estourada ou um cabeçote trincado na porta de escape ou em torno da parte superior da câmara de combustão do motor. Se o motor não superaqueceu recentemente, então o problema provavelmente é uma junta do cabeçote estourada. O superaquecimento do motor também estoura as juntas do cabeçote, mas as temperaturas normais de operação quase nunca trincam um cabeçote. Bater de bielas ou autoignição constante e certos aditivos para combustível também podem trincar os cabeçotes.

Diagnóstico

Juntas do cabeçote estouradas oferecem um arsenal de oportunidades, para que os sistemas fluidos se cruzem, especialmente onde o invólucro de água está envolvido. É típico uma junta do cabeçote estourada mandar a refrigeração para a câmara de combustão enquanto o pistão se move para baixo, o que arrefece de maneira parcial ou total o evento de combustão e envia uma nuvem de vapor branco pelo exaustor. Se houver gases de exaustão no radiador e uma nuvem de fumaça cinza ou branca saindo do cano de escape, então é provável que o problema seja uma junta do cabeçote estourada. Cheiro de combustível no radiador sem uma nuvem de vapor geralmente indica um cabeçote trincado no entorno ou na porta de escape, já que essa área está quase sempre sob algum tipo de pressão e não permite que muita -- se alguma -- água entre no fluxo de exaustão.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível