Desmatamento e crescimento da população

Escrito por robert agar | Traduzido por maria renata c. m. siqueira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Desmatamento e crescimento da população
O crescimento populacional é uma das principais causas (Getty Images)

O desmatamento é um problema crescente em todo o mundo. As florestas do planeta são abundantes em espécies de fauna e flora e possuem um papel importante em regular o clima global. Muitas delas existem somente em seu habitat florestal. Em 2009, aproximadamente metade da cobertura florestal original do mundo tinha sido devastada. Mais de 120.000 km² são derrubados e o crescimento populacional é um fator chave para isso.

Tendências populacionais

No início do século 20, a população mundial era de aproximadamente 1,65 bilhão de pessoas, a maioria vivendo na Europa, China, Indonésia, Índia, Japão e Estados Unidos. Esses números cresceram para aproximadamente cinco bilhões em meados dos anos 1980 e então aumentou para seis bilhões em apenas 12 anos. Doze anos mais e a população mundial deve crescer em mais 1 bilhão de pessoas. Esse aumento no crescimento populacional está acelerando o processo de desmatamento e as tendências não apresentam sinais de desaceleração.

Razões

O desmatamento ocorre por diversas razões relacionadas à população e à atividade humana. A agricultura é um dos principais fatores, tanto a cultura de subsistência como a pecuária para suprir a demanda mundial por gado. A expansão populacional contribui para o desmatamento, por causa da limpeza de terras para construção de moradias. Outras razões incluem produção local de lenha e derrubada de árvores para atender à necessidade mundial por materiais de construção e madeiras exóticas.

Clima

As florestas são essenciais para ajudar a mitigar os efeitos do aquecimento global. Elas reduzem os níveis do gás estufa CO2 durante o processo da fotossíntese. Esse processo retira o CO2 da atmosfera e produz oxigênio, que é necessário para a vida humana e animal. Quando as florestas são devastadas, suas árvores são comumente queimadas, aumentando a geração de CO2 e reduzindo a capacidade da cobertura vegetal de produzir oxigênio.

Outros efeitos

Os efeitos do desmatamento vão além do clima e do habitat selvagem. Os solos desflorestados são mais facilmente erodidos pela chuva, causando o carregamento de sedimentos para os rios e afetando negativamente as populações de peixes. O escoamento também aumenta o risco de inundações e secas. Graças à pobre qualidade do solo, os terrenos das antigas florestas tropicais podem ser utilizados para cultivo por poucos anos até que o próximo desmatamento seja necessário.

Densidade populacional

Existe uma relação entre a densidade populacional e o desmatamento que parece mais clara em algumas regiões do mundo. Os locais com densidade de duas pessoas ou menos por quilômetro quadrado permitem que a população se mantenha com a colheita de produtos não madeireiros na floresta para a sua sobrevivência. Densidades maiores do que as de colheitas de subsistência tornam-se o maior motivo para o desflorestamento. A ligação entre densidade populacional e desmatamento parece maior na América Central, leste e oeste africano e sul da Ásia. Tal conexão não é clara na África Central e na região amazônica da América do Sul.

Desmatamento e crescimento da população
(Getty Images)

Desenvolvimento

O desmatamento ocorre com maior intensidade nas nações com dificuldades econômicas e naquelas onde as populações fazem uso da agricultura de subsistência. Alguns países mais desenvolvidos como a Rússia, a China e os Estados Unidos têm florestas que estão se recuperando do desflorestamento que ocorreu em estágios menos avançados do desenvolvimento econômico.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível