Dieta de óleo de peixe e ácido fólico para transtorno bipolar

Escrito por maria richmond | Traduzido por ricardo castiglioni
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Dieta de óleo de peixe e ácido fólico para transtorno bipolar
O transtorno bipolar afeta muitas pessoas (Stockbyte/Stockbyte/Getty Images)

O transtorno bipolar afeta muitas pessoas. É um transtorno mental que produz mudanças extremas de humor. Ele pode causar oscilações extremas, de mania a depressão. Existem várias formas diferentes de tratamento para o transtorno bipolar. Existem tratamentos convencionais e não convencionais. O óleo de peixe e o ácido fólico demonstraram ter benefícios para a desordem bipolar. Eles devem ser incluídos em sua dieta se você sofre desse transtorno.

Outras pessoas estão lendo

Ácido fólico

O ácido fólico é da família da vitamina B. Ele desempenha um papel na formação de células novas saudáveis. Verificou-se que existe uma associação entre o estado de humor e os níveis de ácido fólico no sangue. De acordo com Kimberly H. Courtwright and Joseph W. do Summers Institute of Metabolic Disease, no Baylor University Medical Center, os baixos níveis de folato ou ácido fólico podem agravar transtornos depressivos tais como transtorno maníaco-depressivo. Verificou-se que o ácido fólico desempenha um papel importante nos distúrbios psiquiátricos.

Se você é deficiente em ácido fólico, seu médico pode desejar tratá-lo usando de 0,08 mg a 2,5 mg de ácido fólico. Como ele é seguro, as doses mais elevadas são aceitáveis no tratamento de distúrbios mentais, tais como o bipolarismo. No entanto, pode-se obter muito do ácido fólico nos alimentos que ingerimos. A dieta pode ser muito benéfica para manter os níveis normais. Você pode encontrar ácido fólico em muitos alimentos, incluindo feijões secos, lentilhas, ervilhas, laranjas, trigo integrais, aspargo, beterraba, brócolis, couve-de-bruxelas e espinafre.

Se você é bipolar, deve ter os níveis de ácido fólico verificados regularmente com um médico.

Óleo de peixe

Se você foi diagnosticado com uma forma de depressão, é possível que tenha uma deficiência em ácidos graxos ômega-3. De acordo com os médicos Al Stoll, W.E. Severus e M.P. Freeman do Arch General Psychiatry, um estudo avaliou o efeito que a suplementação de ácido graxo ômega-3 tem em pessoas com transtorno bipolar. Alguns pacientes receberam 9,6 gramas de ácidos graxos ômega-3 do óleo de peixe. Outros receberam placebo. Os pacientes também foram instruídos a continuar a tomar os medicamentos regulares. No final do estudo, os pacientes que receberam doses elevadas de óleo de peixe informaram que houve uma melhora significativa da depressão e do transtorno bipolar. Eles também relataram períodos mais longos entre as recaídas.

Stoll, que conduziu um estudo da Universidade de Harvard, recomenda que você tome vitamina C e E com óleo de peixe. Isso ajuda a evitar a oxidação no organismo. No entanto, Stoll também adverte contra o uso do óleo de fígado de bacalhau para suplementação de ômega-3. O óleo de fígado de bacalhau tem quantidades altas de ômega-3, no entanto, como há excesso dessa substância, você está arriscado a ter problemas de overdose com as vitaminas A e D.

Recomenda-se iniciar com baixas doses de ômega-3 e aumentar gradativamente. Uma dose de 3 gramas por dia deve ser a dose inicial. Se os resultados desejados não forem alcançados, aumente a dose gradualmente.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível