Displasia de cotovelos em Labradores

Escrito por stephany elsworth | Traduzido por luigi bahia
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Displasia de cotovelos em Labradores
Labradores são propensos a desenvolver displasia dos cotovelos (labrador retriever image by fuxart from Fotolia.com)

Labrador retrievers são geneticamente predispostos a desenvolver displasia do cotovelo, uma condição que afeta a motilidade do cotovelo. A Pet Education explica que os sintomas da displasia do cotovelo, como mancar e a claudicação nas pernas dianteiras pode aparecer em cães tão cedo quanto quatro meses de idade. Esta condição é vitalícia e pode levar à artrite à medida em que o cão envelhece. Várias condições médicas diferentes podem causar a displasia do cotovelo.

Outras pessoas estão lendo

Osteocondrose

Osteocondrose (OCD) é uma condição que acontece quando a cartilagem da extremidade dos ossos não se liga ao osso. Isto faz com que as camadas de cartilagem engrossem e que as camadas inferiores morram por inanição. O Northwest Labrador Retriever Club explica que esta condição pode se transformar em uma doença chamada de artrose degenerativa das articulações. Esta condição pode afetar cães em qualquer articulação que ligue um osso a um membro, mas afeta principalmente Labradores nos cotovelos e articulações do ombro.

Processo coronal medial fragmentado

De acordo com os websites Veterinary Specialty e Emergency Care, outra condição que afeta Labradores é o processo coronal medial fragmentado FCMP [sigla em inglês]. Neste tipo de displasia do cotovelo, o processo coronoide medial (um pedaço de osso na parte inferior da ulna) é deformado ou completamente separado da ulna. Isso torna a movimentação difícil e limitada, causando dor e rigidez. Ela ocorre mais frequentemente em filhotes entre cinco e sete meses de idade. Com o passar do tempo, os cães desenvolverão artrite nas articulações se a condição não for tratada.

Processo anconeal desunido

Processo anconeal desunido, em inglês UAP, é uma forma de displasia do cotovelo que começa quando o cão tem entre quatro e cinco meses de idade. Algumas raças de cães podem desenvolver a doença devido à alimentação inadequada, mas de acordo com o site da Labbies, a investigação médica mostra que normalmente é herdado de um dos pais. A Pet Education explica que a UAP ocorre quando o osso do processo anconeal não se funde com a ulna. Isso faz com que as articulações se tornem instáveis.

Incongruidade do cotovelo

De acordo com Labbies, a incongruência do cotovelo acontece quando o rádio e a ulna crescem em velocidades diferentes. Isso pode causar uma pressão adicional sobre as articulações e pode levar a outras condições de cotovelo, como FCMP e UAP.

Diagnóstico e tratamento

Um veterinário pode diagnosticar as condições que causam a displasia do cotovelo por raios-X. O tratamento depende de cada condição. A Pet Education explica que a osteocondrose e FMCP são tratáveis com medicamentos e geralmente não requerem cirurgia. O peso do cão é monitorado, uma vez que a obesidade pode agravar a situação. Muitas veterinários irão tratar a UAC cirurgicamente. No entanto, independente da forma de tratamento, o cão provavelmente desenvolverá artrite.

Criação

O Dr. Denis Marcellin-Little, professor associado de cirurgia ortopédica na Faculdade de Medicina Veterinária da North Carolina State University, diz que cerca de um a cada cinco labradores tem displasia do cotovelo. Como esta condição é genética, o Labrador Club recomenda a esterilização e castração de filhotes que apresentam os sintomas dessa doença incapacitadora para que eles não passem a condição para a prole.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível