Doença arterial coronariana direita e a circulação colateral

Escrito por mark bingaman | Traduzido por angela spada
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Doença arterial coronariana direita e a circulação colateral
A doença arterial coronariana afeta milhões de pessoas em todo o mundo (Stockbyte/Stockbyte/Getty Images)

A doença arterial coronariana, incluindo o dano à artéria coronária direita, é a forma mais comum de doença cardíaca, que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. A circulação colateral é a tentativa natural do corpo para contornar esse problema.

Outras pessoas estão lendo

Identificação

A doença arterial coronariana é uma obstrução das artérias do coração resultante da aterosclerose, um acúmulo de depósitos de gordura chamado de placa, que bloqueia o adequado fluxo sanguíneo através do sistema coronariano.

Significado

As duas artérias coronárias principais são a direita e a esquerda. Quando uma ou ambas as artérias são acometidas por aterosclerose, ocorrerão dores no peito (angina) e, potencialmente, um ataque cardíaco. Em alguns casos, a circulação colateral pode tentar solucionar o problema de maneira natural.

O desvio natural

A circulação colateral ocorre quando pequenas artérias, tipicamente fechadas, abrem-se e proporcionam caminhos alternativos para o sangue fluir. "Esses vasos normalmente não são abertos", diz em seu site a American Heart Association. "No entanto, elas crescem e aumentam de tamanho em algumas pessoas com doença arterial coronariana ou outra doença vascular".

Considerações

Os pacientes com circulação colateral têm probabilidade duas vezes maior de ter sofrido ataques cardíacos anteriores, com ou sem o seu conhecimento — o que é um apoio positivo para a teoria de que o corpo usa esse processo para prolongar a vida e minimizar o dano, segundo uma publicação do American College of Chest Physicians.

Prevenção/solução

O tratamento para a reversão da doença arterial coronariana direita vai desde modificações no estilo de vida, como parar de fumar, até às medicações e, com o tempo, cirurgias, como angioplastia, inserção de stent e cirurgia de revascularização do miocárdio.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível