Dor pélvica em homens

Escrito por don amerman Google | Traduzido por marcelo salzedas ricci
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Dor pélvica em homens
Dores pélvicas precisam ser diagnosticadas por um médico (BananaStock/BananaStock/Getty Images)

Dores pélvicas — agudas ou crônicas — são relativamente comuns em homens, porém não tão difundidas e queixadas como nas mulheres. Na maioria dos casos, uma dor pélvica de longa ou curta duração é um sinal de que há algum problema na região inferior abdominal ou na região pélvica, incluindo assim o trato intestinal e o sistema urinário.

Outras pessoas estão lendo

Natureza da dor

Dores pélvicas em homens, de acordo com o enfermeiro registrado Gail Hendrickson, podem variar de generalizado porém um desconforto mediano, cólicas intermitentes ou dores agudas. Em um artigo do site Discovery Health, Hendrickson ressalta que o desconforto pode ser breve e passageiro, intermitente ou de longa duração. Como a dor pélvica é sinal de algum sintoma de problemas relacionados àquela região, um medico deve ser consultado o mais rápido possível, principalmente se a dor for intensa.

Causas Possíveis

As duas causas mais comuns de dores pélvicas masculinas são prostatite, uma inflamação da glândula prostática ou uma hiperplasia benigna prostática (HBP) — um aumento do tamanho da próstata não cancerígeno — de acordo com Medline Plus. A HBP é mais comum em homens com mais de 50 anos. Outras causas, de acordo com Hendrickson, incluem aderências pélvicas; doenças sexualmente transmissíveis, como gonorreia ou clamídia; peritonite, uma inflamação da capa protetora da cavidade abdominal; infecção urinária; epididimite, uma inflamação dos tubos de drenagem dos testículos; câncer de cólon; diverticulite; gastroenterite; pedras nos rins e apendicite.

O que dizer ao médico

Diga ao médico o máximo que puder sobre o nível de dor e sua duração. Ele também quererá saber se a dor foi desencadeada ou agravada por alguma atividade específica, como o ato de urinar ou defecar; se a dor é como uma cólica, maçante, aguda ou apenas uma dor generalizada; se outros sintomas acompanham a dor, como febre; e seu nível de atividade sexual juntamente com a questão do sexo desprotegido.

Diagnóstico e tratamento

Baseado na descrição da sua dor e um histórico médico recente, o médico certamente pedirá alguns exames. Podem estar incluídos teste de sangue; teste de urina, possivelmente pedindo um teste de cultura; exames de imagem, como raios-X, tomografia computadorizada ou ressonância magnética (MRI). O tratamento vai depender das condições causadoras das dores. Possivelmente estarão incluídos antibióticos, anti-inflamatórios não hormonais, terapia física ou de relaxamento, medicação para dor e, em casos extremos, cirurgia.

Prognóstico

Se uma infecção for responsável pela dor, o tratamento com antibióticos provavelmente resolverá o problema, entretanto é necessária a atenção para a recurrência das dores. Se, porém, algum crescimento cancerígeno está envolvido, o prognóstico vai depender de quão cedo é detectado ou como responde ao tratamento.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível