Gravidez e fisgadas na virilha

Escrito por mary evett Google | Traduzido por wladimir d. uszacki
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Gravidez e fisgadas na virilha
A gravidez pode vir acompanhada de fisgadas na virilha (Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images)

Dor na virilha é um problema comum sofrido durante toda a gestação, que pode levar a problemas graves para algumas mulheres. Os músculos da virilha, os ligamentos e o estiramento acomodam o feto em desenvolvimento no interior do útero, o que pode conduzir dores abdominais e a um aumento da possibilidade de esticar os músculos da virilha. Isso geralmente pode ser sentido primeiramente em torno da décima segunda semana de gravidez, mas uma fisgada na virilha pode ocorrer periodicamente a qualquer hora (veja a terceira Referência).

Outras pessoas estão lendo

Os fatos

Uma fisgada na virilha, também conhecida como lesão na virilha, ocorre quando muito estresse é colocado sobre os músculos da virilha e da coxa. Eles consistem de seis músculos, que cobrem a área da pélvis interior e a parte interna do osso da coxa. Eles juntam a perna e ajudam com os movimentos da articulação do quadril. Mudanças bruscas de direção ou mudanças rápidas do corpo podem causar sobrecarregamento nos músculos e, em alguns casos, distensões (veja terceira referência Referência).

Identificação

Fisgadas na virilha são comuns em mulheres que estão grávidas, devido ao afrouxamento natural dos ligamentos que acontece na preparação para o parto. Os sintomas de uma fisgada podem incluir dor e sensibilidade na área da virilha e no interior da coxa, dor ao fechar as pernas ou levantar o joelho ou um sentimento de estalo ou ressalto durante a lesão imediatamente seguida por dor extrema (veja primeira Referência).

Tipos

São normalmente divididas em três categorias, dependendo da gravidade dos sintomas. Fisgada de primeiro grau inclui dor, mas pouca perda de força ou de movimento, segundo grau inclui dor com algum dano ao tecido, enquanto que aqueles que caem na categoria de terceiro grau possuem dor acompanhada por perda de função e ruptura completa do músculo. Para determinar a gravidade da fisgada na virilha, um médico fará um exame físico completo e poderá recomendar raios X para descartar problemas adicionais (veja primeira Referência).

Prevenção e solução

As mulheres grávidas devem mudar de posição lentamente para permitir que os ligamentos se estiquem gradualmente e devem dobrar nos quadris se forem espirrar, tossir ou rir, a fim de evitar as fisgadas. Elas geralmente se curam por conta própria dentro de quatro a seis semanas sem um tratamento radical necessário. O descanso é fundamental para o processo de cura, mas, por outro lado, gelo pode ser colocado na coxa para reduzir o inchaço, um anti-inflamatório ajudará a aliviar a dor e reduzir o inchaço. Comprimir a coxa com uma tira elástica pode acelerar a recuperação (veja segunda Referência).

Aviso

Mulheres grávidas que sofrem de dor na virilha devem contactar seu médico imediatamente se a dor não desaparecer em poucos minutos. Notifique-o, se houver sangramento, cólicas, náuseas, vômitos, febre, calafrios ou uma mudança no corrimento vaginal, além da dor na virilha e qualquer perda de movimento. Todos os possíveis riscos e efeitos colaterais de prováveis testes de diagnóstico e tratamentos recomendados devem ser cuidadosamente discutidos com um profissional de saúde.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível