Dores nas articulações musculares associadas ao mal de Parkinson

Escrito por kelli cooper | Traduzido por thaís silva
Dores nas articulações musculares associadas ao mal de Parkinson
As dores provenientes do mal de Parkinson podem ser tratadas com medicamentos tradicionais ou com tratamentos alternativos (Creatas Images/Creatas/Getty Images)

A doença de Parkinson, ou mal de Parkinson, impacta na movimentação normal, podendo resultar em dores articulares e musculares (dores musculoesqueléticas). Pode-se tratar dessas dores por meio de medicações e de cuidados pessoais.

Doença de Parkinson e a dor muscular e articular

A doença de Parkinson causa rigidez nos músculos, problemas na postura e falta de movimentos espontâneos. Esses problemas resultam em dor que atingem principalmente as costas, os braços, as pernas e as articulações.

Doença de Parkinson e as doenças musculoesqueléticas

A doença de Parkinson possui uma conexão com condições como a osteoporose e a artrite, o que pode causar dor articular em alguns pacientes.

Tratamentos convencionais da dor

Tratamentos para a dor dessa natureza podem incluir fisioterapia, programas de exercícios e analgésicos. Medicações padrões, como a dopamina, que combate os desequilíbrios químicos, também podem ajudar em diversos sintomas.

Tratamentos alternativos

A clínica Mayo sugere que a massagem, o tai chi e a yoga podem ser úteis para melhorar as dores articulares e musculares e promover o relaxamento.

Dor e depressão

A dor crônica pode causar ou piorar a depressão em pacientes que sofrem de Parkinson, que têm um grande risco de desenvolver esse distúrbio mental. Tratar a depressão pode reduzir a dor ou aumentar a tolerância. Os remédios para ela tratam-na diretamente e podem interferir nos sinais corporais que envolvem dor.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível