Efeitos da cocaína em fetos

Escrito por kristan nolan | Traduzido por ana rodrigues
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Efeitos da cocaína em fetos
O uso de substâncias nocivas durante a gravidez pode prejudicar o feto e a sua própria saúde (George Doyle/Stockbyte/Getty Images)

Cocaína é uma substância ilícita altamente viciante, que atua como um estimulante do sistema nervoso central. Quando utilizada por uma mulher grávida, ela pode prejudicar o feto de inúmeras maneiras. A cocaína também pode afetar a saúde da mulher, já sensibilizada pela gravidez. Os efeitos colaterais danosos podem ocorrer a qualquer momento durante a gestação, bem como contribuir para complicações a longo prazo no desenvolvimento da criança.

Outras pessoas estão lendo

Gravidez

A cocaína pode atingir o feto através do cordão umbilical, dos vasos da placenta e do líquido amniótico. O uso da cocaína está associado a um maior risco de aborto espontâneo e uma associação conhecida existe entre a exposição à cocaína e os defeitos do trato urinário no feto. Ela também pode provocar um acidente vascular cerebral no feto, o que pode levar a danos cerebrais irreversíveis ou morte. Mulheres que usam cocaína podem também envolver-se em outros comportamentos de vida pouco saudáveis​​, como o uso de álcool ou tabaco, e não praticar uma boa alimentação e, por isso, por vezes, não está claro se a cocaína é a causa ou um fator contribuinte para a condição.

Rompimento placentário

O uso de cocaína é um fator de risco conhecido pelo rompimento placentário, na qual a placenta -- que fornece a nutrição para o feto -- sofre descamação parcial ou total a partir do revestimento interior do útero. Ela pode privar o feto de oxigênio, do fluxo de sangue ou de nutrientes, o que pode levar a complicações que vão desde a morte até problemas neurológicos após o parto; a mãe pode sentir o choque ou hemorragia. Embora esta condição apresente risco de morte para a mãe e o feto, ela pode ser tratada, se diagnosticada a tempo.

Nascimento prematuro

O uso de cocaína pode provocar parto prematuro (antes de 37 semanas). As últimas fases da gestação são particularmente críticas para o desenvolvimento completo dos órgãos no feto. Bebês prematuros ou abaixo do peso ou de baixo (menos de 2,2 kg) muitas vezes estão em maior risco para problemas de saúde, como os respiratórios, digestivos ou dificuldades neurológicas, e estão em maior risco de infecção. A Mayo Clinic relata que crianças nascidas prematuramente também têm um maior risco de dificuldades de aprendizagem, problemas de desenvolvimento e problemas de comportamento na vida adulta.

Panorama

As evidências apontam para níveis de inteligência normais entre a maioria das crianças expostas à cocaína antes do nascimento, contrariando preocupações anteriores de que a exposição pré-natal pode contribuir para níveis de inteligência mais baixos, até mesmo danos cerebrais. No entanto, essas crianças ainda podem enfrentar desafios de aprendizagem e comportamentais, que podem ser administrados com orientação e cuidados adequados. Outro estudo sugeriu que estas crianças desenvolvem-se fisicamente desde o nascimento até a idade de 10 anos em um ritmo mais lento.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível