Efeitos de personagens estereotipados sexualmente em videogames sobre os adolescentes

Escrito por derek m. kwait | Traduzido por guilherme rocha
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Efeitos de personagens estereotipados sexualmente em videogames sobre os adolescentes
A relação das pessoas com os jogos afetarão a visão que elas têm das outras pessoas na vida real (Stockbyte/Stockbyte/Getty Images)

Parte do apelo dos videogames sempre foi a capacidade de você se transformar em um personagem, seja ele um encanador italiano, um ouriço azul que se move rapidamente, uma arqueóloga de seios fartos ou um integrante de uma quadrilha. As pesquisas mostram cada vez mais, no entanto, que, com o passar do tempo, ser quem você não é tem um impacto sobre sua identidade. Quando adolescentes jogam em um mundo virtual de estereótipos de gêneros, eles geralmente trazem esta personalidade para o mundo real.

Outras pessoas estão lendo

Gênero e violência

As revistas de jogos eletrônicos mostram que 83% dos personagens de videogames do sexo masculino são violentos. Em geral, são bastante musculosos e agressivos sexualmente. As mulheres geralmente têm seios fartos e são objetos sexuais, vestidas de maneira provocante. Estudos têm mostrado que a exposição contínua a estas imagens influencia adolescentes de ambos os sexos, particularmente crianças no início da adolescência. Jovens de ambos os sexos expostos a estas imagens são mais propensos a aceitar violência contra mulheres e a ter um comportamento que apoia o estupro, uma resposta negativa a uma proposta como a "'Não' significa 'pare'".

Mulheres

Pesquisas sobre a influência dos jogos eletrônicos sobre as mulheres apresentam resultados distintos. Para alguns pesquisadores, a falta de personagens femininas em jogos acaba afastando as mulheres dos videogames, tornando, com isso, o sexo feminino menos letrado em termos de computadores e menos propenso ao estudo de computadores e tecnologia do que os homens, criando um ciclo vicioso de desequilíbrio de gêneros em campos tecnológicos. No entanto, para o autor de "Killing Monsters", Gerald Jones, ao assumir o papel de guerreiras nos videogames, as mulheres podem construir sua autoestima e confiança para enfrentar os desafios da vida real.

Gênero e raça

Estudo recente mostra que mais pessoas associam personagens negros de jogos eletrônicos à violência do que os brancos. Isto não surpreende, já que, em videogames, homens negros em geral são bandidos agressivos ou brutamontes que vivem nas ruas. Em outro estudo, jovens brancos que veem estas imagens estereotipadas têm uma maior chance de querer votar em um candidato branco do que em um negro com as mesmas qualificações. Os adolescentes brancos expostos a imagens positivas de homens negros preferiam o candidato negro, o que prova a influência destas imagens. Mulheres negras são praticamente inexistentes em jogos eletrônicos.

Soluções

Segundo os psicólogos Kasren Dill e Melinda Burgess, a maneira de combater estes estereótipos não é proibir os jogos eletrônicos, já que o que é proibido é sempre mais gostoso. Em vez disso, eles recomendam educar os adolescentes a entender melhor a mídia — educá-los sobre como a mídia funciona e como ela passa suas mensagens. Eles também incentivam os pais a assistirem a uma prévia do jogo antes de sua compra e, em seguida, conversarem sobre ele. Os pais devem discutir temas e valores com seus filhos adolescentes, para que possam tomar juntos a decisão da compra do jogo eletrônico.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível