Escalas e Arpeggios no Trombone

Escrito por contributing writer | Traduzido por evelyn lima
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Escalas e Arpeggios no Trombone
Escalas e arpeggios são importantes para treinos práticos (un trombone image by Didier Sibourg from Fotolia.com)

Se você já tocou e estudou um instrumento com um professor qualificado, você deve saber bastante sobre escalas e arpeggios. Embora eles sejam as duas maneiras mais eficientes de ganhar habilidade em um instrumento, a maioria dos estudantes de música não gosta do processo de aprendê-los e aperfeiçoá-los.

Outras pessoas estão lendo

Limitações

Escalas e arpeggios são vitais para o desenvolvimento de um trombonista, mas dificilmente são apresentados antes de três a seis meses de estudo. Isto acontece porque os músculos da face precisam ser fortalecidos primeiro, permitindo tocar todas as notas de uma escala. Até que o instrumentista alcance a extensão necessária, o trabalho com escalas e arpeggios não pode ser iniciado.

Escalas maiores

As primeiras escalas introduzidas normalmente são as escalas maiores, uma vez que em geral coincidem com as alturas aprendidas no começo. Especificamente, a escala de si bemol maior costuma ser a primeira a ser estudada, pois muitas canções para iniciantes são escritas neste tom.

Arpeggios maiores

Uma escala maior tem um total de oito notas. Um arpeggio contém os graus 1, 3, 5 e 8 da escala. No tom de si bemol maior, estas notas são: si bemol, ré, fá, si bemol (uma oitava acima do primeiro si bemol) e depois o percurso de volta. O arpeggio completo de si bemol maior é : si bemol, ré, fá, si bemol, fá, ré, si bemol. Arpeggios costumam ser estudados junto com as respectivas escalas. Por exemplo, quando o aluno aprende a escala de fá, aprende também o arpeggio de fá.

Escalas menores e arpeggios

A categoria de escalas seguinte a ser aprendida normalmente são os tons menores e seus arpeggios. Músicas que soem tristes e melancólicas frequentemente são baseadas em tons menores. O instrumentista geralmente começa a treinar escalas menores apenas quando atinge um nível ao menos intermediário de intimidade com o instrumento, devido à natureza mais complicada destas escalas. Há apenas 12 escalas e arpeggios maiores, mas 36 escalas e arpeggios menores.

Estudos de Clarke

Utilizando as escalas e os arpeggios aprendidos, o próximo passo para o trombonista é estudar o livro de Herbert Clarke, "Technical Studies for Trombone" (em inglês). Estes estudos são exercícios que usam o conhecimento de escalas e arpeggios de nível intermediário. A maioria dos professores concorda que os estudos de Clarke são fundamentais para estudantes de trombone.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível