Mais
×

Espumas para encher pneus

Atualizado em 21 fevereiro, 2017

Certas espumas podem ser utilizadas para encher pneus, evitando que os mesmos furem -- elas mantém a pressão a um ponto estático, de forma que sua superfície não sofre um desgaste irregular. Se o pneu for furado, nada pode escapar, portanto o pneu continua tão útil quanto antes. Esse tipo de preenchimento é popular para veículos que viajam sobre vários terrenos, como carros de golfe, tratores e cortadores.

Encher um pneu com espuma evita que ele fure (tire image by timur1970 from Fotolia.com)

Poliuretano

A maioria da espuma para pneus é feita de poliuretano, considerado "ultra-leve". Isso é útil por não acrescentar peso extra para o eixo de rodas ou para o motor: quanto mais pesado for o pneu, mais difícil é de virá-lo, o que faz o motor trabalhar mais e gastar regularmente mais combustível. Esse tipo de espuma pode ser inserida no pneu via injeção.

Elastomérica

Outro tipo de espuma é a elastomérica. Esse processo requer o tratamento de uma carcaça de pneu: o interior é colocado sob alta pressão atmosférica, a espuma é injetada e estabiliza as células super pressurizadas da superfície. A espuma preenche apenas metade do pneu pois, uma vez que este seja despressurizado, ela preencherá o resto do espaço. A espuma elastomérica é feita principalmente de silicone.

Injeção química

A "espuma" é feita injetando no pneu dois produtos químicos que, quando combinados, produzem uma espuma sólida forte o suficiente para os pneus, mas não muito mais pesada que o ar. Um dos compostos é o uretano leve. Vários produtos utilizam compostos diferentes como catalisador, mas todos são, em sua natureza, hidroxilas -- uma forma de álcool. Misturando ambos, o produto constrói a si mesmo, criando a "espuma". O subproduto do processo é uma grande quantidade de dióxido de carbono, portanto ele deve ser feito em áreas bem ventiladas.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article