A estrutura e função das proteínas do plasma no sangue humano

Escrito por krista niece | Traduzido por franklin serafim
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A estrutura e função das proteínas do plasma no sangue humano
Sem as células vermelhas, o plasma sanguíneo é um líquido claro, amarelo pálido (siringa 3 image by Giuseppe Porzani from Fotolia.com)

A porção líquida do sangue — a parte que sobra depois que as células vermelhas, brancas, e plaquetas é retirada — é chamada de plasma. Embora esse líquido transparente e incolor se pareça com água e seja, de fato, composto por 90% de água, os outros dez por cento desenvolvem um papel crucial na manutenção das funções de imunidade, conteúdo de oxigênio e outras funções do corpo. O plasma é constituído por até seis por cento de proteínas.

Outras pessoas estão lendo

Albumina sérica

Cerca de 50 a 70 por cento da proteína presente no plasma sanguíneo é composta de albumina sérica humana (HSA). A HSA é uma proteína versátil que serve a uma variedade de propósitos. Ela é uma proteína de transporte crucial, devido à sua habilidade de ligar tanto íons minerais, como cálcio e zinco, como metades maiores, como medicações e hormônios. Por causa de sua abundância, a HSA também desempenha um papel-chave na manutenção do balanço osmótico do sangue, que evita que a água contida no sangue vaze dos reservatórios para os tecidos mais próximos. A HSA é uma proteína de tamanho médio, de aproximadamente 65 quilodaltons (kDa), com numerosas ligações.

Imunoglobulinas

Imunoglobulinas são comumente conhecidas como anticorpos. Essas proteínas são abundantes no plasma sanguíneo, fazendo parte de 20 por cento do total de proteína sérica. Imunoglobulinas têm um papel central no sistema de defesa, ligando-se a corpos estranhos no sangue (por exemplo, bactérias) e sinalizando células na corrente sanguínea para serem eliminadas. Unidades de imunoglobulinas têm um formato característico de "Y" e consistem em quatro cadeias de proteínas, com "terminações viscosas" que as permitem ligar-se a um específico tipo de corpo estranho. Outras proteínas no plasma, chamadas de proteínas complementares, auxiliam às imunoglobulinas em sua função de defesa.

Proteínas de coagulação sanguínea

Fibrinogênio e protrombina são duas dentre várias proteínas plasmáticas cruciais a uma coagulação sanguínea adequada. Essas proteínas são inativas até entrarem em contato com um ferimento e, nesse ponto, se ligam para formar uma malha tridimensional que resulta em um coágulo. O fibrinogênio é uma proteína grande (cerca de 300 kDa) que consiste em três cadeias de proteínas diferentes, interligadas entre si. A protrombina tem cerca de 70 kDa e inclui três voltas chamadas de domínios Kringle.

Hormônios e fatores de crescimento

Pelo fato de o sistema circulatório alcançar a todas as partes do corpo, ele é bastante adequado para o transporte de proteínas produzidas no fígado, glândulas e cérebro para as partes periféricas do corpo. Algumas delas são transportadas pelas células sanguíneas, mas outras simplesmente pelo plasma. Embora essas proteínas consistam em uma pequena porcentagem da proteína total do plasma, podem ter efeitos fortes e sistêmicos no corpo. Hormônios sexuais, como a folitropina, e hormônios de crescimento, como o fator 1 de crescimento de tipo insulínico (IGF - 1), são exemplos desses tipos de proteínas.

Proteínas de transporte

Muitos dos componentes que circulam no sangue podem participar em mais de uma reação biológica — e ter efeitos poderosos. Outras são insolúveis em água e incapazes de circular por conta própria. Por essas e outras razões, muitas moléculas de plasma sanguíneo são acompanhadas por proteínas de transporte que regulam suas interações com as células. Como descrito anteriormente, a albumina é uma importante proteína de transporte no plasma, e uma proteína semelhante regula o transporte de vitamina D e metabolismo. O retinol de ligação é uma proteína que acompanha outra vitamina solúvel em gordura, a vitamina A. A família da transferrina das proteínas plasmáticas está envolvida com a regulação de ferro, que é essencial para uma oxigenação adequada do sangue. Outras proteínas de transporte estão presentes de forma transiente, dependendo de condições psicológicas.

Outras proteínas

Embora a albumina, a imunoglobulina e os fatores de coagulação estejam sempre presentes em um plasma sanguíneo saudável, que constituem o corpo da proteína plasmática, a presença de outras proteínas no plasma pode ser um importante indicador de doenças. Por exemplo, altos níveis de plasma de mioglobina indicam danos nas células vermelhas do sangue e uma possível doença cardiovascular, enquanto níveis elevados de fator endotelial de crescimento vascular (VEGF) e o IGF-1 têm sido associados ao câncer.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível