Formas de abuso de idosos

Escrito por rebeca renata | Traduzido por laila teixeira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Formas de abuso de idosos
Pessoas mais velhas costumam ser particularmente vulneráveis ao abuso (Stockbyte/Stockbyte/Getty Images)

Pessoas mais velhas costumam ser particularmente vulneráveis à formas de abuso. Tanto os que vivem em suas casas e dependem do cuidado de pessoas queridas quanto os que moram em asilos podem ser vítimas de abuso. Na maioria dos casos, o culpado é o próprio cuidador. Essas agressões geralmente estão ligadas à situações de estresse vividas pelo cuidador ou à dinâmica que envolve dependência e vulnerabilidade.

Outras pessoas estão lendo

Abuso físico

Abuso físico envolve qualquer lesão física praticada intencionalmente contra um idoso causando feridas ou dor. Exemplos são: agarrar, bater, fazer mau uso de itens para restrição física, empurrões, chacoalhões, queimaduras, beliscões,alimentação forçada e uso inadequado de medicamentos. Punições físicas também são tidas como abuso.

Abuso sexual

É mais comum que mulheres idosas sejam vítimas de abuso do que homens da mesma faixa etária, particularmente dos de natureza sexual. Essa forma de abuso abrange qualquer atividade sexual não consensual feita a um idoso ou na presença dele. Isso pode incluir toques íntimos, estupro ou qualquer outro contato de natureza sexual com o qual o idoso não tenha consentido ou com o qual não estivesse em condições de concordar. Muitas senhoras não denunciam o abuso sexual por vergonha, acreditando serem culpadas pelo ocorrido ou por terem medo de retaliações do agressor.

Abuso emocional

Abuso emocional, também conhecido como abuso psicológico, significa causar dano ou angústia mental a alguém de idade. Isso pode incluir atacar o idoso verbalmente através de ameaças, humilhações, intimidação e assédio. Outra forma de abusar emocionalmente o idoso é manipulando-o. Exemplos disso são tratar o idoso como criança ou recusar-se a interagir com ele. Essa espécie de abuso pode ser resultado do estresse do cuidador que não possui recursos, apoio ou instrução necessárias para realizar esta atividade. Nessas condições, é possível que ele se ressinta da dependência do idoso e reaja de maneira psicologicamente abusiva.

Negligência e abandono

A negligência ocorre quando o cuidador não trata das necessidades físicas, sociais e emocionais do idoso. Exemplos disso são não providenciar à pessoa mais velha comida, água, vestimentas, remédios, conforto, segurança e outras de suas necessidades. Um cuidador estressado ou sobrecarregado pode, passivamente, negligenciar o idoso quando não possui a energia ou os recursos necessários para atender suas necessidades. Por outro lado, a negligência ativa é intencional e relaciona-se a poder e abuso emocional. O abandono é quando a pessoa legalmente responsável pelo idoso ou aquele que assumiu a responsabilidade por seus cuidados não o faz.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível