Fornos alternativos

Escrito por teressa rose ezell | Traduzido por angela spada
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Fornos alternativos
Um artista pode alcançar belos efeitos usando um forno alternativo para queimar cerâmica (John Foxx/Stockbyte/Getty Images)

Depois de tornear ou fazer manualmente uma escultura de argila, vaso, louça ou outro objeto de arte ou artigo doméstico, um artista da cerâmica deve queimar ou cozer a peça a fim de curar a argila e dar ao objeto sua forma final. Na história recente, os artistas usavam predominantemente fornos aquecidos por eletricidade, gás ou madeira. Apesar disso, o método de queimar é parte tão importante do processo criativo quando o próprio objeto, quando o artista escolhe um método alternativo de queima.

Outras pessoas estão lendo

Forno de micro-ondas

Um artista pode optar pelo uso de um micro-ondas comum para queimar suas pequenas peças de cerâmica. Esse forno é um pequeno recipiente criado pela colocação de um gabinete sobre uma base. Uma substância branca, fibrosa, isola a parte interna do recipiente e, dentro dele, um composto negro absorve a radiação emitida durante o processo de micro-ondas. Esse pequeno forno pode aquecer até 898,5 graus Celsius, que é quente o suficiente para queimar esculturas, contas ou outros objetos pequenos com sucesso.

Fornos alternativos
Um pequeno forno-recipiente especial usa a radiação de um forno de micro-ondas (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Forno-churrasqueira

A churrasqueira de quintal proporciona outro método não convencional para a queima de pequenos objetos de argila, como os potes feitos com os dedos. De acordo com a Ceramics Arts Daily americana, esse forno alternativo funciona melhor para queimar objetos feitos com argila micácea (que contém mica) ou argila de Raku. Os carvões normalmente se aquecem até 593 graus Celsius, uma temperatura que funciona para itens pequenos. Um artista pode aumentar a temperatura dentro da churrasqueira para acomodar peças grandes, circundando os carvões com pedaços de madeira.

Fornos alternativos
Uma churrasqueira constitui um improvável, mas eficiente forno de quintal (Hemera Technologies/PhotoObjects.net/Getty Images)

O homem de lata

A artista Careen Stoll de Portland, Oregon, nos Estados Unidos, criou um grande forno que usa tições de madeira e resíduos de óleo vegetal. A inspiração de Stoll para inventar o seu forno foi ter sucesso em abastecer com óleo vegetal o seu caminhão a diesel que, caso contrário, teria sido descartado. Com um espaço de empilhamento de cerca de 1,2 m³, o forno de Stoll acomodará peças grandes ou múltiplas peças pequenas. Ela construiu o forno, que chamou de "O homem de lata", em seu quintal durante um ano. Depois de concluí-lo, passou mais um ano de experimentação para encontrar o melhor método a usar para a queima de suas peças.

Forno primitivo ao ar livre

A edição de julho/agosto de 1981 do Mother Earth News fornece as instruções detalhadas de um método primitivo de queima de cerâmica que é adequado para uso no quintal, particularmente em ambientes rurais. Um artista pode colocar esse forno em um buraco raso em uma área limpa ao ar livre e construí-lo usando apenas gravetos, cacos de cerâmica, fragmentos de metal e esterco de vaca ou cavalo. Embora a maioria das peças queimadas nesse tipo de forno mantenha sua cor original, o artista pode conseguir efeitos especiais usando mais esterco para criar mais fumaça, esculpindo uma peça parcialmente cozida ou friccionando a peça com uma colher ou pedra lisa.

Fornos alternativos
Cacos de cerâmica, gravetos queimados, esterco e lâmina metálica criam um forno primitivo ao ar livre (Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images)

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível