Qual a função do saco amniótico?

Escrito por nannette richford Google | Traduzido por luiz carlos de frança júnior
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Qual a função do saco amniótico?
Qual a função do saco amniótico? (gorssesse bebe 2 image by Mélissa Bradette from Fotolia.com)

O saco amniótico é composto por duas membranas finas e transparentes, o âmnio e córion. O córion constitui a camada externa e o âmnio consiste a camada interna, que contém o líquido amniótico. Este líquido envolve e protege o feto até o seu nascimento, fornecendo proteção e regulação da temperatura corporal.

Outras pessoas estão lendo

Intervalo de tempo

O saco amniótico começa a ser preenchido de líquido logo após a concepção, em algum momento entre duas primeiras semanas de gravidez. A quantidade de fluido aumenta conforme o feto se desenvolve e depois diminui um pouco, em torno da 38ª semana de gestação. Imediatamente antes, ou durante o parto, o saco amniótico se rompe e o líquido escorre através da vagina.

Função

O líquido amniótico é amarelo claro e serve para amortecer o feto de choques e solavancos. Ele fornece uma temperatura estável e ajuda a manter uma temperatura corporal ideal para o feto. O líquido permite que o bebê se mova livremente e exercite os músculos que estão se desenvolvendo, em simetria, no sistema músculo-esquelético. Ele permite o desenvolvimento dos pulmões quando o feto começa a respirar o líquido amniótico, fortalecendo-os, e desenvolvem também o trato gastrointestinal, quando o fluido é ingerido. Os rins se desenvolvem enquanto o feto urina no líquido.

Efeitos

A ruptura prematura do saco amniótico, muitas vezes referida como estouro da bolsa, aumenta o risco de infecção ao bebê e requer observação médica. O parto é muitas vezes mais difícil, e pode ser prolongado, em mulheres cujo saco amniótico se rompeu antes do início do trabalho de parto. Se o saco amniótico não rompeu, seu médico ou parteira podem romper o saco para iniciar o trabalho de parto.

Aviso

Uma quantidade insuficiente de líquido amniótico, chamado oligoidramnio, pode ser uma indicação de ruptura de membranas, disfunção placentária ou anormalidades fetais. Quantidades excessivas de líquido amniótico, chamado polidrâmnio, podem indicar diabetes gestacional ou defeitos congênitos.

Prevenção/Solução

Se há suspeita de defeitos ou de doenças congênitas, o médico pode optar por realizar a amniocentese, para examinar o líquido amniótico para possíveis defeitos cromossômicos ou outros. Isso é realizado através da inserção de uma agulha longa e fina na barriga, perfurando o saco amniótico, e coletando cerca de 2 colheres de sopa de líquido amniótico. Esse exame é geralmente feito na 16ª semana, se houver suspeitas de condições como a espinha bífida. A amniocentese tem um risco de 1 em 400 de gerar aborto, com algumas estimativas elevadas para 1 em 100.

Conceitos errôneos

A crença de que tomar banho ou nadar durante a gravidez faz com que a água entre no útero e introduza bactérias no líquido amniótico é totalmente infundada. A água não entra na vagina, nem se desloca para o útero, durante o banho ou a natação.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível