A história do Natal na Irlanda

Escrito por gabriele malik | Traduzido por rosangela gandini
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A história do Natal na Irlanda
O Natal na Irlanda combina tradições pagãs e cristãs (Christmas tree image by Mladenov from Fotolia.com)

O Natal na Irlanda é uma mistura de costumes antigos pagãos e herança cristã. Como em qualquer lugar, os cristãos na Irlanda adotaram velhos rituais de solstícios que foram modificados para os propósitos deles. O azevinho era prevalente na Irlanda e usado para decorar a casa no Natal antes do advento da árvore de Natal. Encontrar um arbusto de azevinho com muitas frutinhas vermelhas, segundo eles, trazia boa sorte para o Ano Novo.

Outras pessoas estão lendo

O Natal chega

A celebração do Natal chegou na Irlanda em 1171. O Rei inglês Henrique II introduziu o feriado no país. Ele dava festas suntuosas e montava presépios em um salão construído para essa finalidade em uma vila chamada Hogges. Até hoje, o Natal na Irlanda é sobretudo uma celebração de generosidade e hospitalidade.

A história do Natal na Irlanda
A Irlanda adotou prontamente o Natal (holly image by david purday from Fotolia.com)

A vela na janela

As famílias irlandesas colocam uma vela acesa na janela na véspera de Natal para mostrar para Maria e José que eles são bem vindos à casa. Depois, a vela adquire um significado adicional. O membro mais jovem da família tem a tarefa de acender a vela e apenas uma menina chamada "Maria" poderá apagá-la.

A história do Natal na Irlanda
A vela na janela mostra o caminho à noite (candle image by Sergey Galushko from Fotolia.com)

A mesa farta

Outro costume encantador é a mesa farta. Após o jantar, na véspera do Natal, a mesa é posta novamente. A família providencia um pão com uvas passas e sementes de cominho, um grande jarro de leite e uma vela acesa. Eles deixam a porta destrancada, de forma que Maria e José, ou de fato qualquer viajante noturno, possa descansar e se alimentar.

A procissão da cambaxirra

A procissão da cambaxirra acontece no dia de Santo Estêvão, um dia após o Natal. Isso mostra semelhanças com o Halloween. As crianças perambulam pelas ruas, carregando um bastão com um ramo de azevinho no topo. Elas têm os rostos pintados, vestem roupas velhas, cantam e tocam músicas, pedindo dinheiro para as cambaxirras famintas. Embora esse costume pareça bem inofensivo, as origens são bastante sombrias. Dizem que a cambaxirra é um pássaro traiçoeiro; ele foi culpado por revelar o esconderijo de Santo Estevão aos perseguidores. Também dizem que o pássaro bate as asas nos escudos dos Nórdicos para alertá-los da presença dos soldados irlandeses. Entretanto, recuando ainda mais no tempo, a cambaxirra pode ter sido usada em rituais druidas, aos quais os cristãos irlandeses se opõem. Antigamente nessas procissões colocavam uma cambaxirra de verdade morta no topo do bastão. Atualmente, um pássaro falso é usado, e as procissões geralmente ocorrem na região sudeste da Irlanda.

A história do Natal na Irlanda
Uma cambaxirra (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

O Natal das pequenas mulheres

Nos tempos antigos, a limpeza da casa era firmemente considerada um trabalho feminino, o que significa que após cozinhar, assar e limpar, as mulheres costumavam ficar completamente exaustas. Quando chegava o dia 6 de janeiro, elas tiravam um dia para relaxar. Nesse dia, os homens faziam todo o trabalho de casa e as mulheres iam a um pub para um passeio. Embora o "novo homem" já tenha chegado na Irlanda, muitas mulheres irlandesas amam manter essa tradição viva. O Natal das pequenas mulheres também marca o dia no qual é seguro retirar os enfeites de Natal. Qualquer data antes disso é considerada de má sorte.

Branqueamento do Natal

Um costume muito antigo, que data do período pré-cristão, é o branqueamento do Natal. Os fazendeiros costumam limpar as casas e estábulos muito minuciosamente e os pintar de branco cor de neve para o Natal. Os católicos dizem que eles fazem isso para purificar as casas deles para a chegada do Salvador. Mas o costume é bem mais antigo, o que faz dele um exemplo fundamental do entrelaçamento dos rituais pagãos e cristãos. Originalmente, ele foi provavelmente demonstrado no começo do ano novo. Após o solstício do inverno, a luz aumentava e todos começavam o ano com uma ardósia limpa.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível