Mais
×

Qual é o estado mais inicial para detectar uma gravidez tubular?

Atualizado em 21 novembro, 2016

Antes da tecnologia médica ter feito avanços tão vastos, uma gravidez tubular ou ectópica poderia ser um perigo de vida para a mulher, pois a condição não era normalmente diagnosticada em tempo. Esse tipo de gravidez ocorre quando o óvulo fertilizado é implantado do lado de fora do útero, se instalando no trompa de Falópio. Quando um óvulo se implanta no colo do útero, ovário ou abdômen, refere-se a isso como uma gravidez cervical ou abdominal. Ectópico significa "fora de lugar".

A gravidez ectópica pode colocar a vida da mulher em perigo (Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images)

Perigo de vida

Conforme o óvulo se desenvolve, a trompa de Falópio deve expandir para acomodá-lo, mas esse local não é projetado para abrigar um óvulo em desenvolvimento. Não há espaço o bastante e não existe um tecido nutritivo presente. Eventualmente, a trompa irá se romper e explodir. Quanto mais cedo essa condição for diagnosticada, melhor será o resultado para a mãe e para sua capacidade reprodutiva futura. Se for descoberta no início, a gravidez tubular pode ser interrompida e a trompa de Falópio pode ser salva, permitindo que a mulher tenha chances de engravidar novamente no futuro.

Sintomas

Mesmo com o melhor equipamento médico, ainda é difícil diagnosticar uma gravidez antes de cinco semanas após o último período menstrual. Uma gravidez tubular inicialmente criará os mesmo efeitos de uma gravidez normal. A mulher não tem sua menstruação, seus seios podem ficar sensíveis e ela pode sentir náusea ou fadiga. No entanto, se a gravidez for ectópica é possível sentir uma dor severa no ombro esquerdo, pressão sanguínea baixa, sangramentos, dor pélvica e abdominal, tontura e desmaios. Todas as mulheres grávidas devem saber sobre esses sintomas.

Níveis de HCG

Se realmente houver uma gravidez ectópica, o nível de HCG (gonadotropina coriônica humana) no sangue da mulher estará mais baixo do que estaria em uma gravidez normal. Se seu útero não estiver alargado, o que pode ser determinado por um exame físico, o médico procurará por uma massa aumentada nas trompas de Falópio ou pelo útero. Se a massa for descoberta, isso indica uma gravidez tubular. Um ultrassom pode também ser feito para descobrir onde ocorreu a gravidez, mas talvez não seja possível realizar esse procedimento até a quinta semana de gestação. O ultrassom e um teste de HCG devem ser feitos ao mesmo tempo. Se o HCG for negativo, isso exclui um risco de gravidez ectópica. No entanto, se for positivo, isso confirma a gravidez mas não revela a localização da bolsa gestacional nos estágios iniciais da gravidez. O ultrassom pode ajudar a encontrar o local exato, porém pode ser difícil ver a bolsa no início da gravidez. Se o nível de HCG estiver em mais de 2000 mIU/mL e o médico não conseguir visualizar a bolsa gestacional, ele diagnosticará o caso como gravidez ectópica. Outro teste que pode ser usado é um exame de sangue que mostra o nível de progesterona.

Metotrexato

Se a gravidez ectópica for descoberta cedo o bastante, o crescimento do embrião pode ser interrompido ao aplicar uma injeção de metotrexato. Esse medicamento anticancerígeno tem como objetivo matar as células em divisão rápida da gravidez tubular, interrompendo o processo.

Laparoscopia ou cirurgia

Se a gravidez avançou, pode ser necessário realizar um procedimento para remover o feto, o que às vezes pode ser feito via laparoscopia, bem menos invasiva do que os procedimentos cirúrgicos usados no passado. No entanto, a cirurgia é necessária algumas vezes quando se tem uma situação de emergência.

Quanto antes melhor

Conseguir um diagnóstico precoce pode ajudar a salvar as trompas de Falópio, preservando a fertilidade. Relate quaisquer sintomas incomuns para seu médico o mais cedo possível.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article