×
Loading ...

Como lidar com um idoso com depressão e ansiedade

Atualizado em 21 novembro, 2016

Envelhecer é inevitável, porém ainda é difícil ver os nossos pais e avós perderem muitas das liberdades e capacidades que apreciamos. Além disso, os idosos enfrentam o declínio da saúde, observam os amigos e a família morrerem, já não se sentem necessários e lutam contra sua própria mortalidade, o que pode causar depressão ou ansiedade mesmo em indivíduos saudáveis. O National Institutes of Health dos EUA relata que dois milhões de adultos de 65 anos ou mais sofrem de "depressão profunda", e outros cinco milhões com sintomas mais leves. Se você perceber que um ente querido está com depressão ou ansiedade, existem várias maneiras de ajudá-lo a lidar com o problema.

Instruções

Como lidar com um idoso com depressão e ansiedade (Siri Stafford/Digital Vision/Getty Images)

    Lidando com depressão e ansiedade em idosos

  1. Sente-se e converse com o ente querido sobre o que você percebeu, como tristeza prolongada, perda ou ganho de peso, falta de socialização, ou perda de interesse em passatempos ou na vida em geral. Não deixe que ele ignore ou minimize as suas preocupações. Se a pessoa se recusa a discutir a situação, faça uma reunião de família para que todos vocês possam expressar amor por ela e preocupação com a situação, para que o idoso saiba que não é apenas uma pessoa que está alerta ao problema.

    Loading...
  2. Determine o que mais está incomodando seu ente querido. Se é a perda da liberdade, o que pode ser feito para se recuperar essa liberdade tanto quanto possível? Por exemplo, se o idoso não é mais capaz de dirigir, elabore um cronograma em que os membros da família estejam disponíveis como motoristas, ou contrate um serviço de condução sênior. Se é dor ou desconforto, marque uma consulta imediatamente com um médico para se certificar de que o idoso fique o mais confortável possível. Tenha bom senso nos desafios diários que seu amado pode estar enfrentando, a fim de aliviar a ansiedade que ele ou ela pode estar sentindo.

  3. Ligue para o médico. Se o seu ente querido se recusa a reconhecer um problema, ligue para o seu médico para explicar as suas preocupações e peça ajuda. Como o consultório médico não pode discutir qualquer informação privada, pode-se anotar no arquivo de seu ente querido que você ligou e as preocupações que chamaram a atenção do médico. Isso pode ser discutido no próximo check-up do idoso. Ou, se o médico considera que a situação merece atenção imediata, pode-se agendar uma consulta imediata, especialmente se o médico considerar que medicação é necessária para combater o problema.

  4. Ajude o idoso a se sentir amado e necessário. Faça com que amigos e família rotineiramente o visitem ou telefonem. Leve-o em saídas em família, mesmo que seja só para jantar ou para ir a igreja. Peça conselhos -- todos se destacam em alguma coisa. Sua avó fazia biscoitos fantásticos? Obtenha sua receita. Sua mãe sabe como acalmar um bebê com cólica? Seu pai era habilidoso ou sabia cuidar bem de plantas? Usufrua de sua sabedoria e permita-lhes contribuir ao mesmo tempo.

  5. Ouça a história de vida. Se possível, grave-a ou anote-a, enquanto o idoso a conta. Essa é uma excelente forma de preservar a história da família e permite que seu ente querido lembre de tempos mais felizes, em vez de focar no presente sombrio.

Loading...

Dicas

  • Soluções calmantes, como massagens, tratamentos de beleza simples ou usar uma banheira com água quente também podem proporcionar alívio físico e mental para os idosos.

Aviso

  • Não presuma que a depressão é um sinal normal do envelhecimento -- não é.

Referências

Recursos

Loading ...
Loading ...