O que faz as mangueiras do radiador do carro estourarem

Escrito por michael merry | Traduzido por eduardo gama
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O que faz as mangueiras do radiador do carro estourarem
A mangueira estourada pode causar sérios problemas (Jupiterimages/Comstock/Getty Images)

As mangueiras do radiador do carro são dois tubos flexíveis que fazem circular o líquido de arrefecimento do motor até o radiador, onde é resfriado e, em seguida, de volta para o motor. Existem dois tipos de mangueiras: moldadas e flexíveis. As mangueiras são feitas de de borracha de silicone, neoprene e outros materiais sintéticos para terem uma longa vida útil. No entanto, as condições de uso podem fazer com que estourem ou rachem.

Outras pessoas estão lendo

Sistema de arrefecimento entupido

Uma mangueira de radiador furada não significa necessariamente um radiador ruim. O depósito de materiais que ficam no sistema de arrefecimento pode, com o tempo, reduzir o fluxo do líquido. Isso e outros bloqueios de fluido de resfriamento podem causar o superaquecimento do sistema e um vácuo suficiente para estourar uma mangueira enfraquecida.

Tampa do radiador com defeito

Tampas de radiador são feitas para manter a pressão do sistema de arrefecimento entre 12 e 15 PSI. Quando o motor é desligado, o líquido de arrefecimento começa a descer. Se a válvula de vácuo na tampa falhar, o vácuo resultante no sistema de ar pode fazer uma mangueira arrebentar. Uma tampa de radiador com defeito também pode obstruir o fluxo de líquido de arrefecimento. Quando isso acontece, a bomba d'água, tentando levar o líquido até a parte de baixo do radiador, pode criar um vácuo suficientemente forte para arrebentar a mangueira.

O que faz as mangueiras do radiador do carro estourarem
Sempre acompanhe a temperatura pelo painel (Noel Hendrickson/Digital Vision/Getty Images)

Desgaste

Mangueiras de radiador são feitas para resistirem a altas pressões e temperaturas, indo de -40º C até mais de 120º C. Elas precisam resistir à corrosão química pelos fluídos de arrefecimento e por outros materiais como óleo e lama, alcatrão, resíduos da estrada, sal e ozônio. Mangueiras de radiador deterioram com o tempo em um processo que ocorre inicialmente de dentro pra fora. O óleo acelera o desgaste do material. Rachaduras na superfície podem fazer com que a mangueira rache, estoure ou vaze. Elas ficam mais duras e quebradiças e, com o tempo, eventualmente devem quebrar.

Malha de reforço mal colocada ou ausente

Algumas mangueiras de radiador possuem uma mola ou malha de reforço interno. Se ela estiver danificada ou ausente, a parte inferior da mangueira pode se contrair quando o veículo estiver em velocidade e cortar o fluxo de líquido de arrefecimento para o motor. Uma mangueira contraída só volta à forma original quando o motor diminuir a rotação ou for desligado.

Degradação Eletroquímica (ECD)

Motores e radiadores modernos podem criar condições para gerar correntes elétricas no fluído de arrefecimento e na camada interna da mangueira do radiador. Essas correntes criam fissuras, rachaduras e estrias nas mangueiras, efeitos que eventualmente enfraquecerão e farão com que a mangueira quebre. O ECD pode ser identificado apertando as pontas das mangueiras. Elas devem ser substituídas a cada cinco anos ou quando houver evidências significativas de desgaste ou danos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível