Como um organismo cresce de maneiras diferentes em um ágar diferente?

Escrito por jillian o'keeffe Google | Traduzido por daniel tamayo
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como um organismo cresce de maneiras diferentes em um ágar diferente?
Cada meio é adequado para uma variedade diferente de micro-organismos (Martin Poole/Stockbyte/Getty Images)

O ágar é um meio de cultivo sólido para micro-organismos, como bactérias e fungos. Existem muitos tipos de meios com base de ágar. Ele pode fornecer um ambiente nutritivo para uma grande variedade de micro-organismos ou ser seletivo e permitir apenas um pequeno espectro. Essa variação no meio advém do fato de que cada um contém uma combinação diferente de fontes de energia, vitaminas e minerais e alguns podem conter substâncias tóxicas para certos grupos.

Outras pessoas estão lendo

Cor

A coloração é uma das diferenças mais notáveis em colônias em ágares diferentes e é causada pela diferença de nutrientes em cada um deles. Por exemplo, uma colônia de salmonela em um ágar genérico, como o R2A, aparece em cor neutra e é similar a outras bactérias no mesmo meio. Depois que um analista pega uma colônia isolada de salmonela e a coloca em um ágar seletivo, como desoxicolato xilose-lisina (XLD, da sigla em inglês), as células crescem em colônias vermelhas com um centro preto. Essa nova coloração resulta da produção de cor pela salmonela, depois que ela metaboliza os novos nutrientes do XLD que não estavam no R2A.

Tamanho

Cada colônia de micro-organismo no ágar é o resultado da multiplicação de uma ou mais células presentes naquele ponto. A taxa na qual a colônia se espalha e, dessa forma, aparece maior, depende das características do meio. Por exemplo, o fungo Aspergillus niger se espalha mais rapidamente e, dessa forma, cada colônia será maior em um meio específico, como o SDA, que contém uma nutrição específica para o fungo, que no R2A, que é genérico. O conteúdo de cada meio também afeta a taxa de crescimento da colônia, já que as células que são móveis (podem movimentar-se sozinhas) podem espalhar-se para mais longe em um meio com pouco ágar, em comparação aos meios com ágar mais espesso.

Forma

A forma da colônia também pode variar com o meio. Por exemplo, a levedura em uma amostra que não é colocada em cima do meio, mas misturada com ele, com uma técnica de imersão, pode crescer irregularmente, em vez da forma circular, ao passo que as colônias no topo da superfície vão crescer arredondadas, devido à disponibilidade de oxigênio e a liberdade de movimento pelo meio.

Alteração do ágar

Alguns ágares possuem um ingrediente especial que uma espécie de micro-organismo pode metabolizar. Um exemplo desse tipo é o ágar sanguíneo, que contém um pouco de sangue animal. Espécies como o Streptococcus pneumoniae, um patógeno humano, podem metabolizar o sangue. Isso significa que uma colônia dessa espécie, no ágar sanguíneo, vai produzir uma coloração esverdeada, que não estaria presente no ágar comum. Os micro-organismos que são resistentes a um antibiótico em particular também irão produzir uma área limpa ao seu redor, apenas na parte que contém o antibiótico.

Desenvolvimento

Algumas vezes, uma espécie em colônia terá características incomuns em suas células, devido ao tipo de ágar em que crescem. Um exemplo disso é a Salmonella enterica typhimurium, que pode viver como células sem flagelo (um membro propulsor que permite que a célula se mova) ou células com flagelo, dependendo do meio. Alguns carboidratos são necessários para construir a estrutura do flagelo e, na falta deles, as células não desenvolvem esse membro.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível