Oxandrolona e perda de peso

Escrito por james rutter | Traduzido por ana rodrigues
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

A oxandrolona ​​é um hormônio esteroide utilizado para tratar pacientes que sofrem de perda grave de peso após trauma, e a dosagem varia com a idade e com a modalidade de tratamento. Os atletas também usam essa substância para ganhar massa muscular. Esse esteroide é perigoso para pacientes com certas condições preexistentes, e pode causar uma série de efeitos colaterais prejudiciais.

Outras pessoas estão lendo

Identificação

De acordo com o site Body Building, a empresa farmacêutica Searle desenvolveu pela primeira vez o hormônio esteroide oxandrolona em 1964 e o vendeu sob a marca Anavar antes de interromper a produção em 1989. Outras empresas farmacêuticas agora fabricam a droga em vários países. A oxandrolona ​​é derivada da testosterona, hormônio esteroide de ocorrência natural, e, como ela, exibe efeitos anabólicos (construção de tecido) e androgênicos (masculinizante).

Indicações

Além de sofrerem deformação, pacientes com queimaduras graves muitas vezes perdem uma quantidade elevada da massa muscular esquelética. Eles também sofrem fadiga e supressão da função imune e seu corpo perde a capacidade de curar feridas adequadamente. Por exercer efeito anabólico sobre os músculos, a oxandrolona passou a ser recomendada para aliviar a perda de peso e a fadiga que acompanha pacientes queimados de todas as idades.

Além disso, muitas doenças (como AIDS em estágio avançado, distrofia muscular, câncer, hepatite e esclerose lateral amiotrófica) causam perda de massa muscular. A oxandrolona é também indicada para ajudar os pacientes que sofrem dessas condições a manter a sua massa muscular existente ou a construir um novo tecido muscular. Por aumentar a densidade óssea, médicos também a têm prescrito para tratar pacientes com osteoporose.

Por fim, os médicos aproveitam sua propriedade de estimular o apetite e o ganho de peso em pacientes em recuperação de cirurgias, com infecção crônica e que sofreram trauma.

Dosagem

Um estudo realizado pelo Departamento de Cirurgia da Universidade do Texas e pelos Hospitais Infantis Shriners, em Galveston, Texas, deu a vítimas de queimaduras 0,1 mg de oxandrolona por quilo de peso corporal duas vezes ao dia. As informações do site RXList relatam que doses de 2,5 mg a 20 mg por dia durante duas a quatro semanas são indicadas para pacientes adultos usando oxandrolona para ganhar peso após uma cirurgia ou trauma. Além disso, esse site relata que a dosagem para pacientes idosos é de 5 mg por dia.

Uso ilícito

O site Body Building relata que fisioculturistas e atletas consideram a oxandrolona uma alternativa popular e segura a outros derivados de testosterona. Em doses baixas, ela apresenta efeitos androgênicos mínimos e, ao contrário da testosterona, não se converte em estrogênio (o que pode causar o desenvolvimento de tecido mamário em homens).

De acordo com o site, os usuários experimentam ganhos de massa muscular que proporcionam aumento da força sem inchaço ou retenção de água. Esses efeitos da oxandrolona fazem dela uma escolha popular entre os atletas que competem em classes de peso e precisam se enquadrar em determinada categoria.

Contraindicações

O site farmacêutico Drugs.com relata que pacientes que sofrem de câncer de próstata ou de mama, de hipercalcemia (níveis elevados de cálcio no sangue) ou de nefrose ou doença renal não devem tomar oxandrolona. Sua utilização também pode interferir na atividade de anticoagulantes e diluentes do sangue.

A FDA classificou a oxandrolona na categoria X em relação à segurança para uso em gestantes, o que significa que causa defeitos congênitos (incluindo infertilidade) em fetos. Portanto, mulheres grávidas não devem tomar esse medicamento.

Riscos

O site Drugs.com relata que o uso de oxandrolona pode levar à hepatite peliosa, uma condição que, por vezes, causa cistos fatais cheios de sangue no interior do fígado ou dos rins. A oxandrolona também causa danos ao fígado, provocando hepatotoxicidade e alteração da função do órgão.

Usuários relataram reações adversas a esse medicamento, incluindo vômitos, náuseas, dores de estômago, diarreia, dores musculares, febre, dores de cabeça e icterícia. A oxandrolona pode alterar os níveis de colesterol no sangue, o que pode resultar em arteriosclerose, problemas de coagulação, acidente vascular cerebral e insuficiência cardíaca congestiva.

O site Body Building relata que usuários que ingerem altas doses de oxandrolona apresentam efeitos masculinizantes, os quais incluem voz mais grossa, excesso de pelos faciais e corporais, acne, pele oleosa e libido alterada. As mulheres são particularmente propensas a essas mudanças e também podem sofrer ciclos menstruais interrompidos e aumento do clitóris, enquanto os homens podem ter disfunção erétil.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível