Perigos da radiação de campos eletromagnéticos

Escrito por richard gaughan Google | Traduzido por alexandre amorim
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Perigos da radiação de campos eletromagnéticos
Ondas eletromagnéticas nos cercam (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Nós vivemos em um mar de radiação eletromagnética. Televisões, lâmpadas, o sol, rádios, celulares, linhas de transmissão, auxílios à navegação -- todos emitem ou usam radiação eletromagnética. Cada dispositivo eletrônico que compramos adiciona ondas ao mar eletrônico. Então, talvez seja natural que, quando se buscam explicações para os problemas de saúde, estejamos tentados a olhar para esses campos invisíveis que nos cercam.

Outras pessoas estão lendo

O campo eletromagnético

Na metade do Séc. XIX, um inglês chamado James Clerk Maxwell reuniu um conjunto de equações e uniu a eletricidade ao magnetismo. Uma das implicações das suas equações era que uma fonte com uma carga elétrica em movimento poderia criar um campo elétrico e magnético que iria se propagar indefinidamente, auto-suficiente até o infinito. De repente, a natureza das ondas luminosas era revelada: Era um campo eletromagnético viajante.

O espectro eletromagnético

Mas mais do que apenas a luz foi explicada. As equações de Maxwell mostraram que os campos eletromagnéticos em propagação viajariam na mesma velocidade, independente do comprimento de onda, ou, equivalentemente, independente da frequência. Agora sabemos que a luz visível é apenas uma pequena porção do espectro eletromagnético que vai desde longas ondas de radio até os curtos raios gama.

Perigos da radiação de campos eletromagnéticos
A luz visível é apenas uma pequena porção do espectro eletromagnético (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Campo de energia eletromagnético

O começo do século XX acrescentou bastante ao nosso conhecimento do espectro eletromagnético. Einstein recebeu seu prêmio Nobel por mostrar que a radiação eletromagnética consiste de "partículas similares a ondas" chamadas fótons; a energia carregada em cada fóton é proporcional à frequência da onda. Isso quer dizer que quanto mais curtas as ondas forem, mais energia elas carregarão.

Efeitos da radiação de campos eletromagnéticos na saúde

A radiação eletromagnética com energia o bastante para arrancar um elétron de um átomo é chamada de radiação de ionização. Como as moléculas se ligam através dos elétrons que compartilham, a radiação de ionização pode quebrar ligações moleculares. Esse tipo de dano a uma molécula biológica pode causar problemas de saúde sérios, incluindo câncer. Raios-X e raios gama são radiações de ionização altamente energéticas. A luz ultravioleta emite a radiação com a frequência mais baixa capaz de causar dano às células.

Perigos da radiação de campos eletromagnéticos
Raios-X são radiações de ionizações energéticas e a sua exposição deve ser limitada (Medioimages/Photodisc/Photodisc/Getty Images)

Perigos das ondas de rádio

Trocando em miúdos, nenhum. A radiação de telefones celulares de frequências mais altas é de 2GHz (dois bilhões de vibrações por segundo). A frequência mais baixa que a luz ultravioleta possui capaz de causar danos é de mais ou menos 750 THz (750 trilhões de vibrações por segundo). A radiação de um telefone celular é cerca de 400.000 vezes menos energética do que a da luz ultravioleta. Se a molécula fosse um tijolo e a luz ultravioleta, um canhão de 82 Kg capaz de perfurar um muro, o campo eletromagnético de um celular seria como uma bolinha de algodão contra o mesmo muro. Não importa quantas bolas de algodão forem jogadas ao muro, o muro não será afetado. É por isso que as ondas de rádio não podem afetar as nossas células.

A confusão acerca dos campos eletromagnéticos

Os estudos ligando radiação de campos magnéticos a problemas de saúde são todos "depois do fato". Dois funcionários de escritório que contraíram leucemia, por exemplo, e então, se descobre que o escritório ficava próximo a uma subestação elétrica. O problema é que existem milhares de outras pessoas que trabalham nas mesmas condições e não desenvolvem a doença. Se houvesse um efeito grave na saúde devido à radiação eletromagnética, então ele se mostraria como um fator claro e consistente no desenvolvimento da doença. Isso não acontece. Por outro lado, pessoas que vivem próximas a linhas de transmissão desenvolvem câncer -- mas isso também acontece com pessoas que vivem longe delas. Existem efeitos ambientais na saúde, mas todas as evidências mostram que é pouco provável que a radiação eletromagnética possa causar efeitos perniciosos significantes.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível