Que tipo de raízes as rosas têm?

Escrito por patrice gravino | Traduzido por débora faggioni
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Que tipo de raízes as rosas têm?
Rosas têm raízes fibrosas (Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images)

Rosas crescem em sistemas radiculares fibrosos, como os outros membros da família Rosaceae, incluindo morangos e amoras, bem como árvores de maçã, amêndoas e pêssego. Raízes fibrosas consistem de um nó de topo ou coroa que desce como uma ou mais raízes grossas, das quais se estendem braços menores e espinhos na extremidade. Raízes fibrosas crescem principalmente lateralmente, criando um tapete de entrelaçado para suporte do solo no nível superior.

Outras pessoas estão lendo

Coroa

As rosas têm uma raiz em forma de coroa da qual crescem múltiplos braços e acúlios. Esta raiz central se desenvolve a partir de uma semente e cresce para baixo, formando uma "radícula", ou raiz embrião. Esta estrutura de raiz original conecta e gera crescimento acima e abaixo do solo. Ela desenvolve brotos que se tornam caules, folhas e flores, além de produzir raízes com braço grosso e terminações fibrosas. É importante, ao plantar rosas com raiz descoberta, enterrar a coroa só até o nível do solo.

Que tipo de raízes as rosas têm?
Rosas exigem cuidados especiais de plantio (Jupiterimages/Goodshoot/Getty Images)

Braços

Os braços da raiz são os maiores crescimentos que emanam da coroa radicular central de um sistema radicular fibroso. Nas rosas, elas têm geralmente de 5 cm ou menos de diâmetro, mas podem ter vários centímetros de comprimento. Os braços radiculares emanam da coroa em uma torção ou modo nodoso, crescendo lateralmente e para baixo. Estas estruturas densas, carnosas estabilizam a planta ao tempo, em que absorvem os nutrientes do solo. Além disso, eles geram o nível radicular seguinte: tentáculos de raízes que se espalham horizontalmente.

Que tipo de raízes as rosas têm?
Rosas têm um sistema radicular complexo (Thomas Northcut/Digital Vision/Getty Images)

Espinhos

Os espinhos de 3 cm ou menos de diâmetro emergem dos braços da raiz, espalhando-se em todas as direções, mas na maioria das vezes na horizontal, próximo dos topos das maiores, resultando em formações semelhantes a um braço. Estas estruturas, juntamente com as pequenas fibras que elas criam, semelhantes a cabelos, compõem a textura fibrosa deste tipo de raiz. Pequenos, porém robustos espinhos formam uma lateral, o suporte radicular abaixo do solo que permite à planta absorver muita umidade e nutrientes de moléculas maiores do solo, tais como o magnésio.

Pêlos

Nas pontas dos tentáculos da raiz crescem fibras radiculares minúsculas do tamanho de cabelos grossos, ou menores. Estas estruturas crescem em todas as direções a partir destes tentáculos, entrelaçando-se com eles e se desenvolvendo principalmente na horizontal. Pêlos radiculares puxam a umidade juntamente com os elementos mais leves do solo, como as moléculas de oxigênio, nitrogênio e partículas de fósforo. Muitas vezes os pêlos radiculares estão ausentes em rosas de raiz descobertas, mas reconstituem-se rapidamente quando a raiz principal e os braços são plantados.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível