Mais
×

Como as pessoas reagem a incentivos na economia

Atualizado em 17 abril, 2017

Incentivos na economia são fatores que podem alterar o comportamento de compra dos consumidores. Eles podem ser decisões de governos ou empresas, tais como benefícios fiscais na compra de carros híbridos, ou alterações ditadas pela "mão invisível" do mercado, como um aumento do preço do petróleo. O professor Steven E. Landsburg até mesmo sugeriu em seu livro " O Economista de Sofá" que "a maior parte da economia pode ser resumida em quatro palavras: Pessoas respondem a incentivos. O resto é comentário".

Preços altos fazem os consumidores procurarem produtos mais baratos (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Trocando para produtos de qualidade inferior

Quando o preço de um bem sobe acentuadamente, as pessoas que necessitam das mesmas quantidades do produto (alimentos, roupas), mas que podem aceitar uma qualidade mais baixa, passam a preferir produtos de qualidade inferior. Na teoria econômica, produtos de qualidade inferior são aqueles em que a demanda sobe quando o poder de compra dos consumidores declina. Por exemplo, quando o preço de doces famosos sobe, os consumidores preferirão produtos mais baratos e inferiores para atender às suas necessidades.

Mudança de hábitos

Para bens inelásticos (produtos em que a demanda permanece mais ou menos a mesmo, apesar de flutuações no preço), tais como petróleo e energia elétrica, os consumidores mudam seus hábitos para reagir ao aumento ou à queda dos preços. Por exemplo, quando os preços do petróleo sobem, as pessoas tentarão usar seu carro com menos frequência, dirigir mais devagar ou fazer várias tarefas em uma viagem. Da mesma forma, uma queda nos preços da energia elétrica permite que as pessoas mantenham luzes e aparelhos elétricos (televisão, computadores) ligados por mais horas.

Incentivos diretos

Governos e empresas podem oferecer incentivos para que os consumidores gastem mais em determinados produtos e serviços. Nessa categoria pode-se incluir incentivos fiscais para uma série de produtos bons para o meio ambiente, como carros híbridos (por exemplo, carros híbridos não precisam pagar a taxa de congestionamento no centro de Londres) ou cupons de descontos oferecidos por empresas. Os consumidores respondem a tais incentivos com o objetivo de evitar custos adicionais no curto ou longo prazo.

Taxas de juros

As taxas de juros agem como um incentivo para as empresas investirem e para os consumidores emprestarem dinheiro para gastar. Quando os bancos têm taxas de juros baixas, é mais fácil para os consumidores tomarem dinheiro emprestado, gastarem em produtos (carros, casas, eletrodomésticos) ou serviços (férias caras, por exemplo) e devolverem aproximadamente a mesma quantidade mais tarde. Da mesma forma, taxas de juros altas podem fazer os consumidores moderarem seus gastos, tentando viver com os recursos disponíveis.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article