Ruptura de lesões hepáticas caninas

Escrito por kimberly sharpe Google | Traduzido por joão melo
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Ruptura de lesões hepáticas caninas
Os cães sofrem com hiperplasia nodular hepática como uma parte natural do envelhecimento (dog image by Holtea Silviu from Fotolia.com)

A hiperplasia nodular hepática forma lesões benignas cheias de ar e líquido no fígado do cão. Trata-se de uma doença silenciosa, que normalmente acomete cães de meia-idade, e que pode passar despercebida pelos proprietários e veterinários até que uma das lesões se rompa. A lesão hepática rompida pode exigir cirurgia e transfusões de sangue, pois ela muitas vezes continua a sangrar, distendendo o abdômen. Se não for tratada com cirurgia e antibióticos, o cão pode sangrar até a morte ou sofrer uma infecção grave.

Sintomas

Considerada principalmente uma condição geriátrica, os sintomas da hiperplasia nodular hepática podem ser negligenciados, pois muitas vezes evoluem ao longo do tempo. O cão pode apresentar letargia e falta de apetite. Se o quadro inadvertidamente prejudicar a função hepática conforme as lesões tornarem-se grandes, o seu cão pode apresentar amarelamento das gengivas, pele e olhos. A distensão abdominal é muitas vezes descoberta quando há palpitação, de acordo com o Pet MD.

Causa

A hiperplasia nodular hepática tende a ocorrer através do processo natural de envelhecimento do cão. A média de idade de início e de diagnóstico é de 11 anos, segundo a District of Columbia Academy Veterinary Medicine. Algumas raças, como o Terrier Escocês, parecem apresentar uma maior incidência da doença. Os cães que tiveram problemas anteriores na região do fígado geralmente desenvolvem as lesões mais tarde. Certos fatores metabólicos e desequilíbrios devido ao envelhecimento também podem ser responsáveis pela condição.

Diagnóstico

O veterinário irá avaliar a história do seu cão e realizar um exame físico. Se a lesão do fígado estiver rompida, o cão pode apresentar sinais de anemia e dor abdominal. Um ultrassom irá determinar a extensão do dano e em que zona a ruptura ocorreu. Muitas vezes, as lesões parecem ser um câncer primário de fígado ou uma metástase. Para descartar o câncer, a biópsia é muitas vezes realizada. Uma biópsia maior pode ser obtida cirurgicamente. Um hemograma (CBC) deve ser realizado. A maioria dos cães que sofrem de hiperplasia nodular hepática terá elevação de fosfatase alcalina (ALP) no sangue. A ALP é uma proteína corporal encontrada no fígado. Apesar da elevação da mesma, todas as outras proteínas e enzimas hepáticas permanecem nos valores normais.

Tratamento

Quando a lesão no fígado se rompe, há necessidade de uma cirurgia de emergência para salvar a vida do cão. A excisão cirúrgica imediata da área deve ser feita e toda hemorragia interna parada. O cão provavelmente precisará de uma transfusão de sangue antes ou durante a cirurgia. Uma vez que a cirurgia tenha sido executada, o animal normalmente se recupera sem efeitos adversos. Se as lesões não tiverem se rompido, o cachorro pode viver confortavelmente toda a sua vida sem nenhuma intervenção médica e as lesões são consideradas apenas uma parte natural do processo de envelhecimento.

Perspectiva

Qualquer cão com hiperplasia nodular hepática deve ser submetido a exames regulares de sangue e ultrassons para garantir que as lesões não estão crescendo muito. A lesão muito grande denota um risco grave de ruptura e pode exigir intervenção cirúrgica antes que isso aconteça. Um nódulo excessivamente grande pode muitas vezes prejudicar a função do fígado e também deve ser removido cirurgicamente.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível