Sinais de choque séptico

Escrito por nicole long | Traduzido por debora joi
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Sinais de choque séptico
O choque séptico é uma condição extremamente séria (Comstock Images/Comstock/Getty Images)

O choque séptico é uma condição extremamente séria. Ela ocorre quando uma infecção bacteriana torna-se tão grave que leva à diminuição da pressão arterial com risco de vida. O choque séptico pode afetar qualquer pessoa, mas geralmente afeta pessoas muito jovens e muito velhas ou com doenças pré-existentes. A única medida preventiva que você poderá tomar contra o choque séptico é ter certeza de que receba tratamento imediato para qualquer infecção bacteriana. Isso pode ajudar, mas a maioria dos casos de choque séptico não pode ser evitada. É por isso que é importante conhecer os sinais de choque séptico. Conhecer os sinais e saber quando procurar ajuda médica são ações que podem salvar a sua vida.

Outras pessoas estão lendo

Causas

As bactérias normalmente provocam choque séptico. Todos os tipos de bactérias podem provocar a doença devido às toxinas liberadas por elas. Uma vez liberadas, as toxinas podem causar danos aos tecidos. Esses danos podem levar à diminuição da pressão arterial e ao mau funcionamento do organismo. O organismo também produz uma forte resposta inflamatória às toxinas. Ela pode ser muito prejudicial e contribuir para um maior dano ao órgão. O choque séptico também resulta de coágulos sanguíneos em pequenas artérias. Pesquisas sugerem que esses coágulos restringem o fluxo de sangue e podem causar diminuição da pressão arterial e do funcionamento dos órgãos.

Fatores de risco

Há muitos fatores de risco que podem levar a um aumento da chance de desenvolver choque séptico e seus sintomas. Pessoas com sistema imunológico enfraquecido têm um risco maior, devido aos seus baixos níveis de imunidade e a sua incapacidade de lutar contra infecções. Entre elas, temos as pessoas com AIDS e leucemia. Ser portador de diabetes também pode aumentar o risco. Cirurgias recentes, infecções e uso de medicamentos esteroides também podem aumentar as chances de choque séptico.

Sinais

O choque séptico não faz distinções: ele pode afetar qualquer parte do corpo, como coração, cérebro e rins. É extremamente importante estar ciente dos sinais de choque séptico, especialmente se você estiver em um grupo de risco mais elevado. Se você tiver choque séptico, você poderá observar extremidades frias ou pálidas, calafrios, temperatura muito altas ou muito baixas, vertigens e baixo débito urinário. Você também pode perceber palpitações, aumento da frequência cardíaca e falta de ar.

Diagnóstico

Se você notar qualquer um dos sinais de choque séptico, procure atendimento médico o mais rápido possível. Seu médico fará vários exames, para ajudá-lo a escolher o tratamento. Um exame de sangue será realizado para verificar se há infecção, nível baixo de oxigênio no sangue e mau funcionamento ou falência dos órgãos. O médico também pode pedir um raio-X, para verificar se há pneumonia ou edema pulmonar. Se não forem detectados, as complicações e os sintomas de choque séptico podem incluir insuficiência respiratória ou insuficiência cardíaca. O choque também pode levar à falência de outros órgãos, por isso é importante procurar atendimento médico imediatamente.

Tratamento

O choque séptico é uma condição muito séria. A maioria dos pacientes será admitida na unidade de cuidados intensivos do hospital para cuidado e observação. Dependendo dos seus sintomas e da gravidade do choque séptico, o tratamento vai variar. Ele inclui fluidos endovenosos, medicamentos para tratar a baixa pressão arterial e a infecção, e oxigênio. Em alguns casos, será necessária uma máquina de respiração para ajudar o paciente a manter os níveis de oxigênio constantes. Se a infecção for localizada, uma cirurgia pode ser uma opção.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível