Taxas de transferência de dados em Ethernet

Escrito por stephen byron cooper Google | Traduzido por josé fabián
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Taxas de transferência de dados em Ethernet
Ethernet é uma norma de cabeamento de redes (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

A Ethernet, inventada pela Xerox em 1972, é a norma mais comum de cabeamento físico de redes. Desde 1983, o Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE) tem a responsabilidade de definir novas especificações para Ethernet, que são publicadas sob o código 802.3 e uma ou duas letras, que vão avançando com cada nova publicação. As taxas de transferência de dados são medidas em bits por segundo (bps), megabits por segundo (Mbps) e gigabits por segundo (Gbps). A norma Ethernet original da Xerox possuía uma taxa de transferência de 3 Mbps.

Outras pessoas estão lendo

Ethernet antiga

A definição de Ethernet da IEEE começou com uma série de normas que ofereciam configurações e tipos de cabos diferentes. Essas normas permitiam uma taxa de transferência de dados de 10 Mbps. Além do código da norma IEEE, as variantes são conhecidas por outro sistema de nomes, onde cada um indica a velocidade máxima em Megabits por segundo, o sistema de sinalização e o tamanho máximo do cabo permitido em centenas de metros. O último elemento depois foi substituído para indicar o tipo de cabo. O segundo elemento do nome é sempre "BASE" para banda base ou "BROAD" para banda larga. As normas originais foram chamadas 10BASE2, 10BASE5 e 10BROAD36, cujas velocidades máximas de transmissão são de 10 Mbps. Depois apareceu a 1BASE5, que oferecia 1Mbps. Os nomes que indicam o tipo de cabo são 10BASE-T (par trançado), 10BASE-F (fibra óptica) 10BASE-FL (enlace de fibra óptica), 10BASE-FB (backbone de fibra óptica) e 10BASE-FP (rede passiva em estrela de fibra óptica).

Fast Ethernet

As implementações da Fast Ethernet usavam sinalização em banda base. Todas ofereciam uma taxa de 100 Mbps. Essa velocidade era indicada nos nomes das variantes. As implementações em par trançado eram 100BASE-T, 100BASE-TX, 100BASE-T2 e 100BASE-T4. As normas de fibra óptica eram 100BASE-FX e 100BASE-SX (para onda curta).

Gigabit Ethernet

Como o nome indica, "Gigabit Ethernet" oferece uma taxa de dados de 1 Gbps. 1 Gb equivale a 1000 Mb, e portanto os nomes das variações de Gigabit Ethernet começam por 1000. Para cabos de par trançados, as normas são 1000BASE-T, 1000BASE-TX e 1000BASE-CX (cabo de cobre). Para fibra óptica, se usam 1000BASE-F, 1000BASE-SX (curta distância), 1000BASE-LX (fibra multimodo e longa distância, até 2 km), 1000BASE-LH (longa distância), 1000BASE-LX10 (par de fibra monomodo de até 10 km) and 1000BASE-BX10 (bidirecional sobre uma fibra monomodo única de até 10 km). Outras variações das normas de fibra óptica especificam transferências ponto a multiponto sobre fibra óptica monomodo. Elas são 1000BASE-PX10-D e 1000BASE-PX10-U para mais de 10 km, tanto para download (D) quanto para upload (U), e 1000BASE-PX20-D e 1000BASE-PX20-U para mais de 20 km (download e upload). A norma 1000BASE-ZX foi definida pela Cisco Systems e usava fibra óptica de até 70 km.

10GBASE

Começando com a 802.3ae em 2002, o IEEE criu normas para que a Ethernet atinja uma taxa de dados de 10 Gbps. Essas normas foram aplicadas em cabos de fibra óptica. Normas posteriores cobriram a transmissão a 10 Gb para outros tipos de cabos. A norma 802.3ak corresponde a cabo de cobre, e a 802.3an se usa em par trançado. As normas 802.3aq e 802.3ap cobrem outras configurações de fibra óptica.

40GBASE e 100GBASE

Em 2010 a IEEE produziu novas normas que permitem taxas de transferência de 40 Gbps e 100 Gbps. Essas normas foram publicadas com o código 802.3ba.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível