Como tratar síndrome da compressão do nervo do pé e tornozelo

Escrito por ehow contributor | Traduzido por angela spada
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como tratar síndrome da compressão do nervo do pé e tornozelo
Trate a síndrome da compressão do nervo e do tornozelo

A compressão do nervo do pé e do tornozelo é uma condição frustrante que pode representar tanto um diagnóstico enganoso quanto um problema difícil de tratar. Deve ser considerado sempre que o tratamento conservador da dor no pé não melhorar os sintomas em algumas semanas. Deve ser tratado gradualmente, de maneira lógica — começando de modo conservador e só terminando com a intervenção cirúrgica se necessário. No entanto, não é uma condição que deva ser ignorada no interesse dos objetivos dos atletas a curto prazo.

Nível de dificuldade:
Moderadamente desafiante

Outras pessoas estão lendo

Instruções

  1. 1

    Reveja a natureza da síndrome da compressão do nervo do pé e tornozelo para familiarizar-se com os detalhes de suas possíveis causas e o espectro de seus sintomas. Entenda que a atividade repetitiva, ou mais raramente, uma lesão específica, causam inflamação que, por sua vez, resulta em formação de cicatriz que literalmente comprime o nervo.

  2. 2

    Realize uma cuidadosa inspeção de suas atividades recentes. Examine as relacionadas ao uso de calçados, ao atletismo, exercícios em declives e trauma, em busca de qualquer possível fator precipitante. Caso identifique um, modifique-o — e não apenas confirme o papel desse fator em seus problemas, mas também como parte do seu programa inicial de tratamento.

  3. 3

    Repouse o máximo possível para reduzir os sintomas. Se você for um corredor, reduza sua quilometragem por semana. Tente exercitar-se na grama ou em superfície mais macia que o concreto ou até o asfalto.

  4. 4

    Visite seu médico de cuidados primários em busca de um encaminhamento. Você deve consultar um especialista em ortopedia ou podólogo com especialização em medicina esportiva, caso o repouso e a remoção dos fatores precipitantes não melhorem sua afecção.

  5. 5

    Continue com a etapa seguinte da terapia sob os cuidados de um especialista. Isto pode incluir o acréscimo de um aparelho do tipo órtese, i.e., suportes do arco do pé ou palmilhas inteiras no calçado, assim como o uso de anti-inflamatórios.

  6. 6

    Discuta com um médico a injeção de um esteroide na área do nervo afetado, se os seus sintomas ainda assim não melhorarem.

  7. 7

    Considere a cirurgia como último recurso. Este é o procedimento que tem mais sucesso se houver algum tipo de lesão de massa causando a pressão no nervo. Tem menos sucesso nas afecções que, após procedimento cirúrgico anterior, apresentam recidiva.

Dicas & Advertências

  • É crucial que a injeção de um esteroide não seja realizada de maneira descuidada. Se o esteroide for injetado de forma errônea no próprio nervo, pode se desenvolver uma síndrome dolorosa pós-injeção que pode ser grave.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível