Adenocarcinoma de pâncreas em gatos

Escrito por cate burnette | Traduzido por deivid assis
Adenocarcinoma de pâncreas em gatos
Saiba mais sobre as doenças que podem atingir seu gato (BananaStock/BananaStock/Getty Images)

Infelizmente, a maioria dos gatos tendem a esconder suas doenças até que estejam muito doentes. Os vários tipos de câncer em felinos são particularmente insidiosos e raramente sintomáticos até que estejam em fase avançada. Assim como em humanos, o câncer de pâncreas em gatos é difícil de tratar e ainda mais difícil de curar, com um prognóstico ruim.

Tipos

O adenocarcinoma de pâncreas é o mais comum do pâncreas exócrino (glandular) em gatos. A porção exócrina desse órgão produz enzimas que permitem a digestão dos alimentos e absorção de nutrientes no intestino delgado. Esse é um tumor de crescimento rápido que envia precocemente metástases para outros órgãos do corpo e é geralmente assintomático até que esteja bem avançado. Normalmente, no momento do diagnóstico, o câncer já se espalhou e o tratamento é difícil.

Os sintomas

Em muitos casos, os sinais do adenocarcinoma permanecerão ocultos até um período mais tardio da doença. Alguns gatos podem apresentar sintomas de pancreatite (inflamação do pâncreas), como vômitos, diarreia, febre, desidratação, depressão, incapacidade de comer e dor à palpação da barriga. Porém, exames laboratoriais de rotina podem apresentar níveis elevados de marcadores da pancreatite ou podem não apresentar tais elevações neste tipo de câncer. As radiografias abdominais podem apresentar uma massa de tecido mole perto do pâncreas, mas ainda não demonstram sinais de neoplasia. Biópsia com agulha de tal massa, guiada por ultrassom pode ser tentada por um veterinário, mas costumam dar um diagnóstico definitivo em apenas metade dos casos.

Tratamento

Na maioria dos casos, o câncer já apresenta metástase pelo corpo do gato no momento do diagnóstico. Geralmente espalha-se para o fígado, intestinos, nódulos linfáticos, pulmões e outras áreas do corpo. O veterinário pode recomendar radio e quimioterapia como opções, mas esses tratamentos têm demonstrado pouco sucesso em animais. A remoção cirúrgica do tumor também pode ser recomendada, mas é muito difícil obter margens cirúrgicas livres de neoplasia.

Considerações

A maioria dos veterinários reconhecem que o tratamento do adenocarcinoma de pâncreas em gatos é paliativo, concebido para aliviar os sintomas da doença e prolongar a vida do animal. Seu veterinário pode recomendar medicamentos para evitar diarreia e vômitos, além de líquidos subcutâneos ou intravenosos para a desidratação. Conforme a doença progride e o pâncreas torna-se totalmente disfuncional, o gato pode mostrar sinais de diabetes, bebendo muito líquido e urinando excessivamente, com níveis elevados de glicose no sangue e distúrbio de marcha nas patas traseiras.

Aviso

Não existe um tratamento curativo para o adenocarcinoma de pâncreas em felinos. Uma vez que geralmente ocorre em gatos mais velhos, a questão dos donos passa a ser como melhorar a qualidade de vida no tempo que ainda resta ao animal de estimação. Proporcionar um bom atendimento veterinário e um ambiente de carinho, muitas vezes, aliviam o desconforto físico associado a esse tipo de câncer. Ao consultar com um veterinário, os proprietários podem considerar a eutanásia como uma opção viável.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível