Mais
×

Características das empresas multinacionais

Atualizado em 17 abril, 2017

As empresas multinacionais, ou a abreviatura EMNs, são aquelas que possuem e operam ativos em mais de uma ação além do seu país de origem em que são incorporadas e, geralmente, também mantêm sua sede. Frequentemente essas companhias são identificadas como as empresas multinacionais (EMNs) ou corporações transnacionais (ETNs). Os exemplos principais incluem Toyota (Japão), BP (Inglaterra), De Beers (Luxemburgo), Fiat (Itália), Phillips (Holanda), Exxon (EUA) e Coca Cola (EUA).

Empresas multinacionais se espalham pelo mundo na busca por oportunidades de negócio (Jupiterimages/Comstock/Getty Images)

Muito grande e organizacionalmente complexa

A maioria das multinacionais são grandes, de capital aberto e organizacionalmente complexas, geridas por executivos profissionais com experiência em gestão de fronteiras. As vendas anuais e os lucros frequentemente somam bilhões de dólares. O número de funcionários pode chegar a centenas de milhares. Os investimentos anuais são superiores aos orçados por muitos países africanos, asiáticos e do Oriente Médio.

Países de origem

A maioria das multinacionais possuem sede nos EUA, na Europa Ocidental ou no Japão. Algumas exceções principais incluem a LG Eletronics (Coréia do Sul), Hyundai (Coreia do Sul), Tata (Índia), BHP (Austrália), a Companhia Vale do Rio Doce (Brasil) e do Grupo Techint (Argentina).

Muito poucas empresas multinacionais possuem sede na África ou no Oriente Médio desde abril de 2011. Uma exceção é a DP World, operadora global de portos marítimos, com sede em Dubai.

Origens históricas

Pitelis & Sugden (2000) observam que as origens da multinacionais podem remontar até a Companhia das Índias Orientais holandesa (Vereenigde Oost-Indische Compagnie ou VOC, em holandês), primeira empresa multinacional do mundo, fundada em 1602. No entanto, em seu tempo, aquela companhia foi um caso relativamente isolado. As EMNs não emergiram como um poderoso setor econômico até depois da Segunda Guerra Mundial. Nesse sentido, estas empresas configuram um fenômeno relativamente recente.

Motivos para expansão no exterior

Empresas expandem em operações no exterior por diversos motivos. Talvez o maior motivo seja a busca de crescimento contínuo, uma vez que elas superaram seu mercado interno ou em casa. O imperativo de criação de valor continuou obriga as empresas a se expandir no exterior, na busca de oportunidades de investimento rentáveis. As leis anti-monopólio no país de origem muitas vezes acentuam este motivo.

Outro motivo para a expansão no exterior é que esta é, muitas das vezes, a estratégia para evitar barreiras tarifárias no país hospedeiro. Este foi um motivo particularmente forte nos anos do pós-guerra, quando as tarifas foram impostas por muitos países em uma vasta gama de produtos e em altos níveis.

Impactos econômicos

Os advogados destacam que as multinacionais causam um impacto positivo no desenvolvimento econômico, uma vez que são grandes investidoras que geram emprego e riqueza. No entanto, os críticos argumentam que elas exercem uma influência política indevida e recebem fundos subsidiados, isenções fiscais e outros benefícios econômicos em detrimento da população em geral.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article