Causas da Guerra Revolucionária Americana

Escrito por edwin thomas | Traduzido por paula belchior
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Causas da Guerra Revolucionária Americana
Os fatores que levaram ao início da Guerra Revolucionária Americana são discutíveis, dependendo de qual historiador você perguntar (Wikimedia Commons)

Os fatores que levaram ao início da Guerra Revolucionária Americana são discutíveis, dependendo de qual historiador você perguntar. A resposta fácil é identificar a ação-e-reação em relação aos atos britânicos de tributação na década de 1760 e início de 1770, mas o aprofundamento na questão revela que essas medidas eram realmente muito leves para os padrões da Inglaterra, e muitos colonos educados sabiam disso. Além disso, outros fatores como a segurança regional recém-conquistada e a cultura tradicional inglesa, são tão importantes quanto eventos como a Festa do Chá de Boston.

Outras pessoas estão lendo

Negligência benigna

Uma das causas mais frequentemente citadas da Revolução Americana tem a ver com a atitude negligente em relação ao governo colonial, identificada por historiadores como "negligência benigna". A maioria das colônias americanas foram organizadas e administradas como empresas semi-privadas, não sujeitas ao mesmo governo oneroso como a Grã-Bretanha, e eram geralmente esquerdistas na resolução de seus próprios assuntos. Quando o governo britânico tentou afirmar a sua autoridade através de impostos leves e regulamentos provenientes dos padrões ingleses, essas ações atingiram os colonos, que foram largamente ignorados pelos Whitehall, em Londres, como tirânico.

A Guerra Franco-Indígena

Conhecida como a Guerra dos Sete Anos na Europa, a Guerra Franco-Indígena foi travada entre 1754 a 1763. Na América do Norte, foi uma vitória britânica decisiva, ao expulsar os franceses das posses canadenses. O resultado alterou radicalmente o equilíbrio de poder no continente, deixando-o sem grandes ameaças terrestres para as colônias. Já que eles não mais tinham de se preocupar com as tribos indígenas francesas ou apadrinhadas pela França, alguns líderes coloniais viram que também não existia mais nenhuma necessidade de uma presença militar britânica. A guerra também ofereceu uma experiência militar de valor inestimável para um punhado de líderes coloniais: como George Washington.

Causas da Guerra Revolucionária Americana
Na América do Norte, foi uma vitória britânica decisiva, ao expulsar os franceses das posses canadenses

Não expansão do ocidente

Parte do acordo de paz de 1763 foi a Real Proclamação de 1763. Foi proibida a liquidação oeste das montanhas Apalaches. Isso causou a amargura e a alienação entre os especuladores de terras coloniais. Além disso, aqueles que esperavam para se tornar colonos ficaram indignados e saíram em busca de oportunidades de posse no ocidente.

Tributação

O governo britânico aprovou uma série de medidas fiscais, cada uma das quais serviram como um foco de controvérsia e discordância. Começando com a Lei do Açúcar de 1764, em seguida, avançando para a Lei de Aquartelamento e do Selo Fiscal de 1765, que foi a Lei de Townsend de 1767 e da Lei do Chá, em 1773, que finalmente levou os colonos a dizerem basta. Cada um desses atos irritou muitos colonos, que foram usados ​​para uma regra muito clara de Whitehall. O governo teria que voltar atrás, o que, por sua vez, os levaria ao mesmo dilema de ter de afirmar a autoridade britânica e aumentar a receita para pagar a defesa e administração das colônias. Esses impostos sucessivos levaram à formação dos Filhos da Liberdade, o encontro da primeira reunião pan-Colonial no Congresso do Stamp Act e um boicote aos produtos gerais coloniais britânicos, o Massacre de Boston, a Festa do Chá de Boston, e, eventualmente, o primeiro Congresso Continental em 1774.

Direitos históricos

A infusão de todos esses fatores é o que muitos colonos consideram seus direitos históricos como ingleses. As Colônias de Massachusetts a Pensilvânia foram fundadas por dissidentes religiosos ingleses, e em muitos aspectos da cultura colonial americano eram muito mais herdeiros dos ideais anti-absolutistas da Guerra Civil Inglesa e da República de Cromwell do que a Grã-Bretanha nunca seria. Mesmo aqueles colonos que nunca tinha lido as obras de filósofos, tais como John Locke, tinha a sensação de que, como súditos da Coroa Britânica, eles tinham direito a certas liberdades básicas. A ironia é que, por causa da negligência benigna, os colonos tinham uma noção muito mais exaltada desses direitos do que os residentes da Inglaterra.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível