Nós no cérebro e ataques apopléticos

Escrito por david detrich | Traduzido por morgana nunes
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Nós no cérebro e ataques apopléticos
Doença de Alzheimer e o cérebro (Schieflage - Kernspintomographie image by Marem from Fotolia.com)

Considere seu cérebro o centro de comando do seu corpo. Ele pesa aproximadamente 1,3 kg e é composto do encéfalo, cerebelo e tronco cerebral. Seu cérebro ajuda você a planejar seu próximo passo. Ele pode resolver problemas, visualizar formas abstratas e calcular o seu bem-estar. No entanto, quando você envelhece, o seu cérebro pode adquirir nós e placas. Você pode testar a si mesmo para os primeiros sinais da doença de Alzheimer.

Outras pessoas estão lendo

Os primeiros sinais da doença de Alzheimer

Seus neurotransmissores enviam sinais através de seu sistema nervoso com uma pequena carga elétrica. Seus nervos se conectam em uma sinapse, onde uma pequena explosão de neurotransmissores são enviados através da sinapse ao nervo oposto. Com a doença de Alzheimer esse processo pode deteriorar-se gradualmente. Com essa doença, seus nervos podem murchar, e a conectividade pode diminuir. A Tomografia por Emissão de Pósitrons (exame PET) pode produzir uma imagem médica de seu cérebro no processo de pensar, falar e ouvir música. Pessoas que sofrem os primeiros sinais da doença de Alzheimer experimentarão uma interrupção em seus padrões de pensamento.

Nós no cérebro e ataques apopléticos
Células dos nervos (blue neuron image by Andrew Brown from Fotolia.com)

Acetilcolina e Alzheimer

A ciência tem mostrado que uma diminuição nas pequenas proteínas chamadas fatores de crescimento dos nervos podem levar ao Alzheimer. Uma vez que seus fatores de crescimento dos nervos diminuem com a idade, você pode considerar testar a si mesmo para saber se está com essa doença. O cérebro produz o neurotransmissor acetilcolina, e uma diminuição da acetilcolina ocorre na doença de Alzheimer. A maioria dos tratamentos do Alzheimer considerarão o objetivo de melhorar os seus níveis de acetilcolina. Felizmente, ela está disponível como um suplemento de vitamina na maioria das lojas.

Nós no cérebro e ataques apopléticos
Acetilcolina como um suplemento (drugs image by Igor Zhorov from Fotolia.com)

Nós e placas

Com a doença de Alzheimer o cérebro pode diminuir em tamanho, a quantidade de células nervosas pode diminuir e os ventrículos que são preenchidos com fluido se tornam maiores. Emaranhados de células nervosas mortas podem se formar em seu cérebro, e esses nós são feitos de proteínas retorcidas. O cérebro pode também ter placas, as quais são constituídas por fragmentos de proteína. Esses fragmentos proteicos são feitos do péptido chamado beta-amiloide (AB), que podem causar a segregação das sinapses. Emaranhados ocorrem em sistemas de transporte de células, quando uma proteína denominada Tau é reduzida e emaranhados ocorrem nos filamentos.

Nós no cérebro e ataques apopléticos
Nós (multicoloured knots image by Alexander Oshvintsev from Fotolia.com)

Ataque apopléticos silenciosos

Pacientes com Alzheimer sofrem ataque apopléticos silenciosos, onde os seus humores podem oscilar da fascinação a timidez. Esses ataques não são convulsivos ou tem pequenas convulsões, que são semelhantes a uma epilepsia leve. Lennart Mucke, diretor do Gladstone Institute of Neurological Disease na University of California, São Francisco, diz que o hipocampo pode se reprimir após uma grande excitação, e um ataque apoplético silencioso pode ocorrer devido às células inibitórias deterem as excitações. Usando eletroencefalografia (EEG), os cientistas mediram os sinais neurais do hipocampo para o neocórtex e descobriram o efeito dessa repressão que causa os ataques silenciosos.

Nós no cérebro e ataques apopléticos
Da fascinação a inibição (old woman surprised image by Ragne Kabanova from Fotolia.com)

Progressão da doença de Alzheimer

O Alzheimer progride desde o início até os estágios intermediários da doença com um padrão previsível de desenvolvimento. Imagens médicas mostram a doença se espalhando a partir da sua origem no centro do cérebro. Sem a suplementação dos fosfolipídios chamados fosfatidilcolina, o prognóstico para a doença de Alzheimer é uma deterioração gradual da saúde mental. Isso pode ocorrer em um período de 8 a 20 anos. As pessoas que têm essa doença podem ter dificuldade para falar claramente e reconhecer o que está sendo dito a elas. Elas também podem ter dificuldade em estimar distâncias em torno delas. Nos estágios finais da grave doença de Alzheimer, podem ter dificuldade em falar, e em reconhecer a sua família e outras pessoas ao seu redor.

Nós no cérebro e ataques apopléticos
Padrão de desenvolvimento (oap image by JulianMay.co.uk from Fotolia.com)

O Alzheimer e a lecitina

Um tratamento de baixo custo para a doença de Alzheimer é a suplementação com fosfatidilcolina, que é encontrada na lecitina. A lecitina é uma substância gordurosa encontrada na gema de ovo. Às vezes, a pessoa mais velha dirá que simplesmente não pode pagar tratamentos caros para a doença de Alzheimer. Você pode ficar feliz ao descobrir que a fosfatidilcolina está disponível na farmácia, na forma de lecitina, a um preço acessível. Esses géis líquidos podem fornecer uma abordagem natural para tratar os sintomas iniciais da doença de Alzheimer.

Nós no cérebro e ataques apopléticos
Géis líquidos de lecitina (gel balls image by Marek Kosmal from Fotolia.com)

Prescrição para o Alzheimer

Se você preferir um medicamento de prescrição para a doença de Alzheimer, vários estão disponíveis. Você pode pedir ao seu médico o Cognex, um medicamento de prescrição popular nos Estados Unidos. Você pode ingeri-lo quatro vezes por dia. Os possíveis efeitos secundários do Cognex podem ser náuseas e vômitos. Certifique-se de seguir as recomendações do seu médico e farmacêutico. O seu médico pode prescrever Donepezil, um medicamento para a doença de Alzheimer, que pode ter menos efeitos colaterais que o Cognex. Você pode ingeri-lo uma vez ao dia. Rivastigmina é outra prescrição para o Alzheimer. Você pode começar com uma dose baixa e ir aumentando gradativamente até uma dose maior. A Rivastigmina tem também os possíveis efeitos colaterais de náuseas e vômitos.

Nós no cérebro e ataques apopléticos
Cognex para o Alzheimer (drugs image by Alexey Klementiev from Fotolia.com)

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível