on-load-remove-class="default-font">
×
Loading ...

Copa 2014: o desafio de ser sede do Mundial

Pela segunda vez, o Brasil sediará a Copa do Mundo. A primeira foi em 1950, quando foi construído o maior estádio do planeta, o Maracanã, para receber alguns dos jogos. A expectativa é grande pela possibilidade de, enfim, sermos campeões jogando em casa (em 50, acabamos com o vice). No entanto, a própria realização do torneio tem sido alvo de questionamentos desde que o país foi escolhido pela Fifa, em 2007. Além da elevada soma de dinheiro dispendida, há dúvidas sobre nossa capacidade de organização. Conheça os principais desafios que a nação enfrenta para receber o Mundial.

O Brasil vem se preparando para a Copa, e tem enfrentado muitos desafios (Huyangshu/iStock/Getty Images)

Estádios

Uma das mais complexas metas que um país precisa cumprir para poder sediar uma edição da Copa do Mundo está diretamente ligada aos estádios que receberão a partida. A Fifa criou, nos últimos 20 anos, uma pesada lista de exigências. O Brasil não contava com nenhum local que atendesse plenamente a estes requisitos. Por isso, precisou reformar ou reconstruir todos os pontos escolhidos para abrigar os jogos do Mundial, além de criar alguns praticamente do zero, como a Arena Pernambuco. Para viabilizar este último, foram gastos mais de R$ 6 bilhões.

Loading...
Vários estádios foram construídos especialmente para a Copa (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

Aeroportos

A cada ano, aumenta o número de brasileiros que conseguem se locomover via transporte aéreo. Antes um meio elitista, se popularizou intensamente nos últimos 10 anos graças ao aumento do poder aquisitivo da população. Esse fenômeno, no entanto, resultou em um problema: sem as devidas reformas e ampliações, os aeroportos ficaram superlotados. Esse é o problema que o país enfrenta em um momento em que receberá um fluxo extra de turistas. Quase todos os terminais passam por reformas, que talvez não sejam suficientes.

Aeroportos brasileiros precisaram passar por ampliações (John Rowley/Digital Vision/Getty Images)

Mobilidade urbana

São raras as cidades brasileiras que dispõem de um sistema de transporte público eficiente. Na maioria das capitais o problema é o mesmo: trens em péssima condição de conservação, ônibus raros e lotados no horário de pico e linhas de metrô curtas e insuficientes. Um grande plano de mobilidade urbana foi anunciada pelos governos federal e estaduais, mas boa parte das obras acabou adiada, por uma série de fatores. Por isso, há um grande risco de a locomoção entre um ponto e outro das cidades-sede ser conturbada.

As principais capitais brasileiras possuem um metrô ineficiente (Darrin Klimek/Digital Vision/Getty Images)

Remoções

Além dos problemas econômicos e de mobilidade, a realização da Copa do Mundo no Brasil ocasionou também uma crise social: a remoção de comunidades carentes para dar lugar a obras relacionadas ao mundial. Um relatório feito pela Ancop (Articulação Nacional dos Comitês Populares da Copa) em parceria com a ONU aponta que 170 mil pessoas tenham sido despejadas de suas casas. Várias entidades têm denunciado o problema, alegando que milhares de famílias vêm sendo arrancadas de seus lares sem uma contrapartida do poder público. Eis mais um grave problema relacionado à organização da Copa do Mundo no Brasil.

Várias das obras no período da Copa foram antecedidas de remoções de milhares de famílias (Digital Vision./Photodisc/Getty Images)

Violência

Os índices de violência no Brasil cresceram assustadoramente a partir da década de 80 e atingiu níveis alarmantes nos últimos anos. O Mapa da Violência – detalhado estudo anual sobre o assunto – aponta que a taxa de homicídios no país em 2013 foi de 20,4 para cada grupo de 100 mil habitantes. É um índice que nos coloca entre as 10 nações mais violentas do mundo. Os investimentos para coibir ações criminosas, até agora, não têm surtido efeito, o que torna o país vulnerável à criminalidade. Durante a Copa, será preciso tomar precauções extras.

Índices de criminalidade no Brasil são elevados (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)
Loading...

Referências

Loading ...
Loading ...