Mais
×

Como curar leucoplasia em mucosas orais

Atualizado em 17 abril, 2017

A leucoplasia é uma ferida ou lesão que se desenvolve como resposta a uma irritação crônica na boca. Ela normalmente se desenvolve na língua, mas pode aparecer na região interna das bochechas. A leucoplasia é encontrada muitas vezes na genitália feminina, mas a causa dessa condição é desconhecida. As partes endurecidas, grossas e em relevo podem ser brancas ou cinzas, de acordo com o MedlinePlus. Essas lesões evoluem para cancerígenas em cerca de 3% dos casos, como informa a Tampa Ear, Nose and Throat Associates (uma associação americana de otorrinolaringologia). A leucoplasia pilosa oral, semelhante à candidíase, ocorre, na maioria das vezes, em pessoas HIV positivas.

A leucoplasia é causada geralmente por substâncias que irritam a mucosa oral, como o fumo e o uso de tabaco. Ela é mais comum na velhice. Eliminar a fonte da irritação é, na maior parte das vezes, o suficiente para curar a leucoplasia na bochecha.

Instruções

As feridas da leucoplasia podem levar ao câncer de boca (man with hand in mouth image by millann from Fotolia.com)
  1. Pare de fumar ou mascar chicletes. A leucoplasia é conhecida também como a queratose dos fumantes. Apesar de a causa exata do problema ser desconhecida, os usuários de tabaco têm muito mais risco de desenvolvê-lo do que outros grupos. Pessoas que mascam muitos chicletes e fumam têm mais risco de desenvolver a leucoplasia nas bochechas. De acordo com o Tampa Ear, Nose and Throat Associates, três entre quatro fumantes desenvolvem essa alteração.

    Os fumantes compõem a maior taxa de pessoas com leucoplasia (tobacco image by FJ Medrano from Fotolia.com)
  2. Pare de tomar bebidas alcoólicas. O uso de álcool é uma fonte de irritação crônica na boca. Um estudo do ano 2000, publicado no "International Journal of Cancer" (um periódico especializado em estudo sobre o câncer) descobriu que, entre participantes escolhidos arbitrariamente para uma triagem de câncer de boca, em Kerala, na Índia, o álcool era um fator de risco significante para o desenvolvimento de leucoplasia entre não-fumantes

    O uso de álcool está ligado à leucoplasia (alcoholic drink image by Horticulture from Fotolia.com)
  3. Cuide de seus dentes. Acredita-se que alterações, como erosões nos dentes ou dentaduras, e pontos ásperos em obturações e coroas contribuem para a leucoplasia, de acordo com o MedlinePlus e os especialistas da associação Tampa. O Mayo Clinic (hospital nos Estados Unidos) relatou, porém, que a opinião médica atual é que esses problemas não tem a ver com a leucoplasia.

    Dentes com erosões ou obturações irritam a mucosa oral (dental image by Andrey Kiselev from Fotolia.com)
  4. Faça exames. Seu médico pode testar suas lesões para ver se são cancerígenas. Você pode precisar de cirurgia para remover os machucados, o câncer ou qualquer outro problema que for detectado. Seu médico pode utilizar anestesia local e uma sonda fria, laser ou um bisturi para remover as lesões.

    As lesões podem ser removidas sem necessidade de internação (Zahnarztpraxis image by R.-Andreas Klein from Fotolia.com)
  5. Coma frutas e vegetais. Pesquisas preliminares dos especialistas do Tampa sugerem que as vitaminas A e E podem ajudar a curar a leucoplasia. Porém, os derivados da vitamina A podem causar efeitos colaterais, por isso, você deve usá-la como tratamento sob a orientação de um médico. O betacaroteno é o precursor da vitamina A, encontrado em diversas frutas e vegetais, podendo ser um caminho mais seguro para resolver o problema. Essa substância é encontrada em frutas e vegetais de cor amarela escura, alaranjada e verde.

    Coma frutas e vegetais para prevenir a leucoplasia (fruit and vegetables on a pile studio isolated image by dinostock from Fotolia.com)

Dicas

  • A leucoplasia na bochecha é inofensiva, na maior parte das vezes, e desaparece em algumas semanas ou meses, quando a fonte da irritação é curada.

Aviso

  • O tratamento adicional é necessário após a cirurgia de remoção da leucoplasia na bochecha, pois a reincidência é comum.
  • A leucoplasia pilosa oral é encontrada geralmente em pacientes HIV positivos que tem um risco aumentado de desenvolver AIDS, como relata o MedlinePlus. As lesões avermelhadas são chamadas de eritroplasia, uma condição que muitas vezes leva ao câncer.
  • As medicações antivirais e tópicas podem reduzir o aparecimento de leucoplasia pilosa, mas as lesões retornam assim que o tratamento é interrompido, como informa o hospital Mayo Clinic.
Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article