Qual parte da flor contém o estigma e o estilete?

Escrito por chasity goddard | Traduzido por marcella narvaes
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Qual parte da flor contém o estigma e o estilete?
O estigma e o estilete são partes femininas da flor (flowers, little red flower image by Astroid from Fotolia.com)

Para as plantas serem capazes de reproduzir, elas precisam produzir sementes. Flores contêm órgãos masculinos e femininos que permitem a produção de sementes. O estigma e estilete são duas partes do sistema reprodutivo das plantas. Essas partes são essenciais, já que permitem que o pólen — carregado para a flor por insetos polinizadores, como abelhas e borboletas — viagem para o ovário, fertilizando a flor e resultando na formação de sementes.

Outras pessoas estão lendo

Localização

O estigma, estilete e ovários formam o pistilo, que fica localizado no centro da flor. Uma flor geralmente terá mais de um pistilo. Quando eles se fundem, o grupo resultante de pistilos é conhecido como carpelo.

Função

O estilete é um tubo que conecta o estigma ao ovário. Durante suas viagens de flor em flor, os insetos coletam o pólen que é produzido pelas anteras, que são as partes reprodutivas masculinas, e transferem para o estigma. Esse pólen vai por dentro do estilete até o ovário para completar a fertilização. O ovário contém um ou mais óvulos que se desenvolvem em sementes depois da fertilização e o ovário então se torna o fruto da planta.

Características

O estigma é grudento para ajudar na coleta do pólen. Ele consiste em um nódulo saliente no final do estilete com uma abertura que permite que o pólen entre. O estilete parece um caule em sua aparência, mas é maior em diâmetro do que os filamentos da antera que ficam ao seu redor. O estigma e o estilete variam em cor conforme a variedade da planta, mas eles geralmente são brancos ou amarelos.

Auto-polinização

Alguns tipos de plantas com flores são capazes de se auto fertilizarem, mas muitas delas têm medidas que impedem que isso aconteça, o que promove a diversidade genética. Os mecanismos usados para prevenir a auto-polinização incluem o desenvolvimento de estigma e estame bem separados, assim não conseguem se tocar facilmente; carpelos e estames que amadurecem em épocas diferentes e um reconhecimento químico no qual o estigma reconhece e rejeita o pólen da mesma planta. Um número menor de plantas não contêm os órgãos femininos e masculinos na mesma flor, o que torna a auto-polinização impossível.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível