×
Loading ...

Fungo da banana

Atualizado em 21 novembro, 2016

A banana é uma fruta recomendada como dose diária de potássio, mas sua abaundância pode estar com os dias contados se os produtores do mundo todo não conseguirem controlar o fungo que causa uma doença batizada de mal-do panamá. Segundo o programa de TV dos EUA "Good Morning America", o fungo tem atacado plantações no sudeste da Ásia, Indonésia e Austrália e, embora ainda não tenha chegado à América Latina (onde a cavendish, espécie mais consumida pelo ocidente é produzida em larga escala), acredita-se que é apenas uma questão de tempo. Isso sem falar na outra ameaça, menos poderosa, mas nem por isso menos preocupante: a Sigatoka negra, que é um fungo que ataca as folhas da bananeira.

A revista norte-americana "Popular Science" garante que a banana é a fruta mais popular do mundo. E, segundo a Associação Internacional da Banana, só nos EUA a média de consumo chega a cerca de 15 quilos por pessoa por ano (a maçã fica na casa dos 8 quilos). Além disso, cerca de 96% dos domicílios daquele país compram bananas pelo menos uma vez por mês.

A banana Cavendish, adorada na América do Norte, pode desaparecer em função do mal-do-panamá (bananas on banana tree image by MAXFX from Fotolia.com)

Importância

O mal-do-Panamá, ou Raça 4, é causado pelo Fusarium oxysporum e é a mais mortal praga de plantações do mundo de acordo com a Plant Management Network (PMN). Este fungo de solo ataca a raiz da planta, colorindo de um vermelho profundo certas espécies de banana e tornando-as impróprias para consumo. O problema ainda não tem um fungicida que o controle e acredita-se que tenha surgido no sudeste da Ásia, embora a PMN aponte registros de sua possível existência já em 1876 na Austrália. Se as grades plantações de Cavendish da América Latina forem infectadas com este fungo, a espécie será duramente atingida, mas isto não significaria o fim da banana no planeta, como informa o site snopes.com.

Loading...

Identificação

De acordo com o site snopes.com, apesar do risco que a espécie Cavendish corre, as bananas continuarão a existir no planeta porque existem mais de 300 tipos delas, com enorme variação de tamanhos e cores (do amarelo ao vermelho passando até pelo azul, púrpura e preto). Por exemplo, a chamada banana sorvete tem uma textura cremosa e é uma casca azul, enquanto outra variação conhecida como burro é mais quadrada que cônica e tem uma pitada de limão no sabor. Já a macabu apresenta uma polpa firme e doce e é preta quando está totalmente madura, como explica o site Chow.com.

Considerações

As bananas não têm sementes, por isso elas são especialmente suscetíveis a infestações por insetos. Mudas de plantas existentes são usadas como base para novas bananeiras, o que significa que elas são praticamente clonadas. Isso quer dizer que não há uma diversidade inerente a elas e que as plantações se desenvolvem por gerações e gerações sempre com o mesmo código genético. Ou, em outras palavras, as bananas não conseguem se adaptar e por isso uma espécie está sempre muito vulnerável a uma doença específica. Por exemplo, a espécie Gros Michel foi dizimada nos anos 1960 por uma vertente do mal-do-Panamá, segundo a PMN. E, na verdade, a Cavendish foi mesmo desenvolvida para substituí-la.

Efeitos

Outra ameaça às bananas é a sigatoka negra, que ataca as folhas da bananeira e é causada por um fungo. Ela foi identificada pela primeira no Vale de Sigatoka, em Fiji, em 1963, de acordo com a APSnet. O fungo encoraja um amadurecimento precoce da fruta e é responsável por cerca de 50% da perda da produção, mas mesmo assim o problema não é tão grave quanto o mal-do-Panamá, porque o Sigatoka pode ser controlado.

Prevenção e solução

Em plantações de larga escala, fungicidas e técnicas especiais de manejo -- espaçamento adequado das bananeiras, retirada das folhas infectadas e um sistema de drenagem eficiente -- são empregados para controlar a sigatoka negra. Mas os fungicidas são aplicados através de helicópteros e aviões, tornando o controle caro -- segundo a APSnet, isto representa entre 15 a 20% do custo total da fruta no varejo.

Já para tentar controlar o mal-do-Panamá, as novas plantações utilizam plantas livres do problema e produzidas a partir do cultivo de tecidos. Além disso, há o desenvolvimento de novas variações resistentes à doença, a introdução de bactérias para controle do fungo e ainda o uso de práticas orgânicas que devem nos garantir um suprimento suficiente de banana para as próximas décadas, como explica o site Slopes.com.

Curiosidades

As bananeiras também são chamadas de figueiras-de-adão, pacobeiras ou pacoveiras. E as bananas não são, de fato, frutos, mas pseudofrutas ou pseudobagas. Os plantadores chamam uma banana de dedo. Um conjunto com 2 a 9 dedos é conhecido como buquê, enquanto a penca tem até cerca de 20 dedos e o cacho representa uma coleção completa de pencas que cresce na parte superior do caule.

Loading...

Referências

Loading ...
Loading ...