História das ervas medicinais

Escrito por maryanne lane lmt | Traduzido por camille sampaio
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

Herbalismo, também conhecido como medicina botânica, herbalismo medicinal, medicina herbal, herbologia e fitoterapia, é uma medicina tradicional ou popular baseada no uso de plantas e extratos de plantas. Muitos medicamentos modernos também são feitos de poções de ervas. Entretanto, abrangendo apenas porções das ervas, a medicina perde certas propriedades que podem ser benéficas. Um exemplo é a casca branca de salgueiro - é dela que a aspirina (ácido salicílico) é feita, ainda que a parte não usada seja a parte que acalma as paredes do estômago. Outra coisa importante a perceber é que as ervas são naturais e coisas naturais não podem ser patenteadas. As companhias de remédios não podem usar ervas inteiras em seus medicamentos e não há como ganhar dinheiro através da promoção de ervas para eles, portanto, nenhuma grande pesquisa médica sobre ervas está acontecendo nos Estados Unidos. O outro obstáculo para herbalistas é que a FDA dos EUA não reconhece a pesquisa de outros países sobre ervas. O que as empresas farmacêuticas estão tentando fazer, é que as ervas sejam consumidas apenas por prescrição, para que assim eles possam ganhar dinheiro, mesmo que os consumidores percam.

Outras pessoas estão lendo

Enterro Flor Neandertal

A fitoterapia é o tipo mais antigo de medicina no mundo e há mais de 750 mil plantas na Terra. Usar as propriedades curativas das plantas é uma prática ancestral conhecida por muitas civilizações. A primeira das conhecidas formas de herbalismo foi descoberta em um local de enterros em Shanidar Cave, Iraque. Uma flor neandertal enterrada foi descoberta em 1960. Após analisar o solo, cientistas descobriram que o corpo havia sido enterrado com oito espécies de plantas para proteger o morto na vida após a morte. Sete das plantas ainda são amplamente utilizadas. Elas incluem raiz de marshmallow (propriedades anti-inflamatórias usadas para garganta inflamada e para o trato digestivo, que também acalma membranas mucosas irritadas), milefólio (anti-séptico, vasodilatador, antiespasmódico, adstringente, digestivo, o milefólio é usado para resfriados, dores da menstruação, febres, dores de dente, irritações da pele e para purificar o sangue) e jacinto (um diurético que é utilizado quando o corpo retém água em seus tecidos com edema local).

Papiro de Ebers

O primeiro escrito conhecido sobre ervas medicinais é conhecido como o Papiro de Ebers, e data do antigo Egito (1500 a.c.). O rolo tem 110 páginas, o que é um comprimento de cerca de 20 metros e contem cerca de 700 remédios mágicos e fórmulas. É um dos três documentos mais antigos preservados da medicina herbal. O segundo papiro é de cerca de 1600 a.c. e conhecido como Papiro de Edwin Smith, e o outro, de 1300 a.c. é o Papiro médico de Brugsch.

Cavernas Lascaux na França

O primeiro uso pictórico histórico das plantas foi encontrado em pinturas rupestres nas paredes das cavernas de Lascaux, na França. As imagens das ervas curativas foram documentadas nas pinturas rupestres e foram datadas de entre 13.000 a 25.000 a.C. As paredes mostram numerosas ervas.

Homem de gelo Otzi

Em 1991, o corpo de Otzi foi encontrado durante o derretimento da neve no verão por alguns montanhistas nos alpes suíços, mais de 5300 anos após sua morte. Fungos de bétula (Piptoporus betulinus) foram encontrados em seu corpo, amarrados em uma corda, mostrando que tinham algum valor para ele. Fungo de bétula contém propriedades antibióticas e anti-bacterianas, mas ele também pode causar alucinações. Estas ervas podem ter sido usadas para tratar os parasitas que a autópsia encontrou em seus intestinos.

Ayurveda da Índia

Dhanwantari é reconhecido como o Senhor divino de Ayurveda (ciência da vida) no sistema indiano de medicina. Muito foi escrito em sânscrito ou transmitido verbalmente, no entanto, em 700 a.C. o Charaki Samhita na Índia documentou as utilizações de mais de 300 plantas medicinais. A ayurveda medicime ainda é usada até hoje e ganhou mais popularidade nos Estados Unidos, conforme os consumidores se desencantaram com medicamentos e seus efeitos colaterais.

Medicina herbal chinesa

Cerca de 100 d.C., "The Divine Husbandman's Classic" definiu os usos de mais de 250 ervas medicinais na China. Na Medicina Tradicional Chinesa (MTC), cada remédio é criado individualmente para o paciente. Algumas ervas são usadas para anular os efeitos colaterais da erva principal e é necessário tempo, habilidade e experiência para desenvolver essa capacidade. Acupunturistas praticam a MTC hoje em dia e tratam pacientes com ervas a granel, cápsulas e chás.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível