A história dos moedores de café

Escrito por sara kirchheimer | Traduzido por natalia peres
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A história dos moedores de café
Hoje em dia existe uma enorme variedade de moedores de café (café image by guy from Fotolia.com)

Monopólios históricos de processamento de café foram tão significativos para a economia espanhola, que, em 1778, Carlos III decretou que nenhuma tarifa seria colocada no café-americano importado para a Espanha, mas qualquer exportação de moedores de café à manivela para a América era estritamente proibida. Hoje, o comércio de café é tão comum que os processadores de café têm uma grande variedade de moedores industriais de produção em massa com lâminas de aço refrigeradas a água que podem moer até 150 kg por hora.

Outras pessoas estão lendo

Anteriomente

Pés de café são nativos da Abissínia (Etiópia), onde os frutos maduros e sementes eram moídos juntos com um almofariz e pilão, em seguida, misturado com gordura e consumido como bolas secas. Quando a bebida café foi introduzido na Arábia após o ano de 1200, alguns grãos eram assados ​​em cada refeição e esmagavam entre pequenos pedras de moer. Mais tarde, moinhos de trigo utilizados pelos romanos foram adaptados para triturar grandes quantidades. Eram pedras esculpidas em forma de ampulheta que se encaixavam sobre uma peça de moagem em forma de cone e grãos eram derrubados do compartimento superior.

Idade Média

Em 1400, na Turquia e na Pérsia (Irã), porções individuais de grãos eram assados em pequenos discos de metal redondos perfurados e depois triturados em um moedor em forma de cilindro. Ao mesmo tempo um moedor de especiarias a manivela sobre quatro pernas foi inventado e adaptado para moer café em cima de uma bacia. Em 1700, uma gaveta foi adicionada para pegar a moagem por baixo da lâmina. No entanto, as inovações não foram generalizadas. Ainda em 1620, os colonos trouxeram um moedor de café especializado almofariz-e-pilão no Mayflower para a colônia de Plymouth, em Massachusetts

Restauração Stewart

Um moedor de caldeira de café projetado em Damasco, na Síria, em 1665 apresentou uma alavanca dobrável e um compartimento de grãos em formato de copo. Ao mesmo tempo, Nicholas Book, "vivendo no Sinal de Frying Pan na rua St.Tulies" em Londres, publicou-se como o único homem que sabia como fazer moedores que eram capazes de moer o café em pó. Moedores de café eram usados comercialmente em Londres em 1660, onde cafeterias eram locais de encontros comuns na cidade. Estabelecimentos como "Rainbow" de Nicholas Farr na rua Fleet também possuíam uma livraria.

Estados Unidos

Em 1798, a primeira patente dos Estados Unidos para um moedor de café foi emitida por Thomas Bruff de Maryland, dentista de Thomas Jefferson. Seu dispositivo de parede esmagava grãos entre porcas de metal com dentes grossos e finos. Em 1828, Charles Parker de Meriden, Connecticut, criou contratos de moedores que melhoraram a existência de moedores de café. Lewis A. Osborn distribuiu o primeiro pacote de café moído em Nova York, por volta de 1860. Em 1870, John Baker Gulick de Filadélfia patenteou seu Champion #1, que se tornou o moedor mais amplamente utilizado nos supermercados.

Elétrico

Em 1898, Hobart Manufacturing Company de Troy, Ohio, introduziu o primeiro moinho acionado por correia elétrica. Em 1913, Hobart apresentou uma patente de moedor melhor. Em 1924, Hobart patenteou um moinho eléctrico com os dentes sobre um eixo de rotação interna por baixo da bandeja de feijão. Em 1905, o tribunal de Kansas City decidiu que uma patente exclusiva em um moedor de café de corte de aço com um ventilador para remover peles dos grãos não foi uma invenção patenteável. No entanto, várias patentes para melhorias das lâminas de corte de aço dos moedores foram concedidas durante a próxima década.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível