Influências biológicas no comportamento criminal

Escrito por david ferris | Traduzido por marina vidal
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Influências biológicas no comportamento criminal
É possível que algumas pessoas tenham uma predisposição genética para o comportamento criminoso (Photos.com/PhotoObjects.net/Getty Images)

O tema "natureza versus criação" -- ou seja, se nossa personalidade é definida pelo ambiente em que crescemos ou pelas nossas características biológicas -- continua a ser discutido nos campos da psicologia, psiquiatria, sociologia entre outros. Ele também possui um papel importante na criminologia e justiça criminal. Há evidências de que alguns fatores genéticos são capazes de influenciar o comportamento criminal, só não se sabe ao certo até que ponto vai essa influência.

Outras pessoas estão lendo

História

A predisposição genética para o crime é uma idéia relativamente nova que só começou a ganhar força no século XIX. Antes disso, acreditava-se que os indivíduos tinham total livre arbítrio sobre seus comportamentos e ações. Culpar a genética pelas ações criminosas de uma pessoa não era uma defesa aceitável. Acreditava-se que o crime vinha do pecado, que era uma falha moral. Avanços feitos no campo das ciências sociais e naturais, principalmente na genética, mudaram essa maneira de pensar e cada vez mais pessoas passaram a aceitar que traços genéticos podem predispor ou até mesmo causar comportamentos criminais.

Saúde mental

Há uma forte ligação entre saúde mental e comportamento criminoso. A esquizofrenia paranoide é uma doença que muitas vezes se manifesta em atos de violência extrema. O assassino em série David Berkowitz foi um exemplo trágico disso. Outro exemplo é Charles Guiteau, que assassinou o presidente norte americano Garfield no final dos anos 1800. Existe uma predisposição genética para diversos transtornos mentais, inclusive para a esquizofrenia. Tais transtornos podem ser desencadeados ou acentuados por fatores ambientais, mas suas raízes se encontram nas falhas dos neurotransmissores do cérebro do indivíduo. Isso pode influenciar o comportamento criminoso.

Hormônios

Hormônios são um fator biológico, e não ambiental. Eles têm grande influência sobre as emoções, que por sua vez, influenciam o comportamento criminoso. Gail Anderson, autora do livro "Biological influences of criminal behavior" (sem tradução para o português), descreveu como um desequilíbrio hormonal pode causar agressividade extrema, que pode se manifestar em atos de violência física ou de destruição de patrimônio. Atos de violência sexual também já foram atribuídos a causas hormonais. Em alguns estados norte americanos a castração química já é utilizada como forma de punição para alguns criminosos sexuais condenados.

Genética

Nossa biologia é o resultado do nosso código genético, e algumas pessoas têm uma predisposição maior para comportamentos anti-sociais. Estudos utilizando gêmeos idênticos ajudaram a estabelecer uma ligação entre criminalidade e genética. Traços anti-sociais herdados fazem com que um indivíduo seja mais propenso a comportamentos criminosos anti-sociais.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível