Informações sobre flautas renascentistas

Escrito por matthew huntington | Traduzido por césar campos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Informações sobre flautas renascentistas
Conheça melhor a flauta renascentista (NA/AbleStock.com/Getty Images)

A flauta renascentista é um instrumento de madeira com seis furos para os dedos e uma embocadura que era usada na Europa por volta de 1500-1670. Pouquíssimas flautas originais do Renascimento duraram, tanto que as informações que temos sobre elas vêm de pesquisas e pinturas. A flauta tenor renascentista em Ré é a antecessora da flauta moderna.

Outras pessoas estão lendo

Origens da flauta renascentista

O que acabaria por se tornar a flauta renascentista originou-se na Alemanha no século XII. Ela era um instrumento popular junto à aristocracia alemã e geralmente era tocada acompanhada por um violino e um trovador. Por volta do século XIV, a popularidade da flauta se expandiu para a França, Inglaterra e Espanha, onde era conhecida como a "flauta alemã". No século XVI, ela havia se tornado um instrumento predominantemente militar na Alemanha, enquanto na França era usada como um instrumento de câmara. No final do Renascimento, a flauta foi fortemente estabelecida como um instrumento na Europa.

Construção da flauta renascentista

As flautas renascentistas eram construídas a partir de um cilindro resistente de bordo ou buxo, com um furo estreito e cilíndrico. Os seis furos para os dedos e a embocadura eram pequenos, o que tornava as notas graves fracas, porém as notas mais agudas eram leves e delicadas. Pelo fato de não poderem ser afinadas, as flautas eram feitas em vários tamanhos. Surgiram três tamanhos padrão: a soprano para notas agudas, a tenor para tons médios e a flauta baixo para notas graves. A flauta tenor em Ré era a mais comum do Renascimento.

Música de flauta renascentista

A partitura mais antiga para a flauta renascentista data de 1533. Pouco se sabe sobre o estilo em que os músicos do Renascimento tocavam esse instrumento, mas a improvisação e a ornamentação eram provavelmente características importantes. As flautas renascentistas eram projetadas para combinarem bem entre si e com outros instrumentos, e eram muitas vezes tocadas em quartetos. Elas também eram utilizadas como acompanhamento para vozes, bem como outros instrumentos delicados. As flautas renascentistas raramente eram utilizadas como instrumentos solo.

As flautas renascentistas atuais

Várias empresas e pessoas fabricam flautas renascentistas nos dias de hoje baseadas nos modelos do Renascimento que permaneceram até os dias atuais. Uma delas é a Filadelfia Puglisi de Florença, na Itália, que fabrica flautas baixo, tenor e soprano com base em originais guardados na Biblioteca Capitolare em Verona. Elas são feitas de bordo e manchadas com ácido para obterem a cor marrom escuro ou marrom-avermelhado. Há também músicos hoje em dia que se especializaram em tocar flauta renascentista, uma delas é Amanda Markwick, que toca em conjuntos com várias cópias modernas diferentes das flautas renascentistas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível